Neste dia em 1998, Michael Jordan fez o último cesto pelos Chicago Bulls.

Sabemos agora como foi.

Aquela final, agora o icónico Jogo 6 de 14 de junho desse ano. Faltam 5.2 segundos para o final – os Bulls estão a perder para os Jazz 85-86. Michael Jordan tem a bola e faz uma finta que faz Bryon Russell trocar os pés e encesta. 87-86 para Chicago. É o sexto título de campeão: o segundo three-peat.

 

Quem é o GOAT, Jordan ou LeBron? Os números (frios) não têm dúvidas

 

Jordan marcou 45 pontos nesse jogo. O jogador perfeito acabava de escrever o final perfeito da história perfeita. Foi o último cesto da besta.

Antes tinha feito o cesto que colocara a equipa a 1 pontos dos Jazz. Depois roubou a bola para manter a posse para os Bulls e tentar passar a frente. Foi o que fez.

 

 

Depois há Bryon Demetrise Russell. Também entrou na história mas pelas razões menos nobres.

Vai para sempre ficar ligado à jogada que deu o último cesto a Jordan. Sem nunca sequer ter tentado desfazer o mito se o camisola 23 dos Bulls o empurrou antes de ficar livre para encestar.

Os árbitros não marcaram falta e Jordan diz que não empurrou, mas Russel nunca desfez a dúvida, apenas admitindo que a estrela de Chicago iria sempre marcar aquele cesto.

«Whether he pushed off or not, he was making that shot» Russell

Bryon Russell e Michael Jordan jogariam juntos a época 2002-03 nos Washington Wizzards, que seria a última da carreira de MJ.

Russell pasous pela NBA com números pouco significativos nas 4 eqiupas por onde passou:

  • Utah Jazz 1993–2002
  • Washington Wizards 2002–2003
  • Los Angeles Lakers 2003–2004
  • Denver Nuggets 2004–2006

Fez 6,663 pontos na carreira (uma média de 7.9 pontos por jogo), quase 3 mil ressaltos (2,914, média de 3.5 por jogo) e pouco mais de mil assistências (1,085, média de 1.3 por jogo).

Aquele tropeção, ou se a mao esquerda de Jordan foi suficiente para o tropeção, vai ficar na história por não ter conseguido impedido “o shot”.