Golos há muitos. E golos desde o meio campo a fintar adversários com a bola colada ao pé esquerdo também. Assim de repente lembramo-nos:

  • do de Maradona à Inglaterra em 1986
  • do de Messi ao Getafe em 2007
  • do de Bale na final da Copa frente ao Barça em 2014, mas este não conta (o galês correu muito mas não fintou ninguém, Busquets não conta)

Portanto resta o de Ryan Giggs. “Aquele” golo, “naquela” meia-final da Taça de Inglaterra “àquele” Arsenal. A 14 de abril de 1999. Ou como lhe chamam (portanto não somos só nós a dizê-lo): o melhor golo da história da Taça de Inglaterra.

Para já não estamos a falar de um Arsenal qualquer. Estamos a falar “daquele” Arsenal de Wenger com:

  • Patrick Vieira (foi ele que “assistiu” Giggs)
  • Emmanuel Petit
  • Bergkamp (falhou um penálti nos descontos)
  • Anelka
  • Ray Parlour
  • Overmars
  • e Kanu

Chega para impressionar?

«It was such a great Arsenal team. It was probably the best team we played against domestically: power, pace, aggression, experience, skill. They had everything», disse Giggs mais tarde

Só que o United também não estava nada mal servido, a começar pelo treinador (Alex Ferguson, lembram-se?). E tinha estrelas como:

  • Schmeichel (defendeu um penálti nos descontos)
  • Beckham
  • Scholes
  • Roy Keane (foi expulso, claro)
  • Solskjær
  • Yorke
  • e Giggs

Portanto a coisa estava equilibrada. Tão equilibrada que o jogo teve de ir a um outro de desempate depois de um 0-0 após prolongamento.

Aí, novamente no estádio do Aston Villa (no Villa Park) a eliminatória foi novamente para prolongamento, depois de 1-1 nos 90 minutos – e foi aqui no tempo extra que apareceu o golo mágico de Giggs.

“It was such a great Arsenal team,” Giggs later reflected, “It was probably the best team we played against domestically: power, pace, aggression, experience, skill. They had everything.”

 

 

O Man United passaria à final e ganharia ao Newcastle em Wimbledon por 2-0, com golos de Sheringham e Scholes.

Seria o primeiro de 3 títulos que deu o tão ambicionado treble aos red devils: Taça, Campeonato e Liga dos Campeões.

Foi até hoje a melhor época de sempre do clube de Old Trafford – e foi o primeiro clube inglês a conseguir juntar três troféus (o City fá-lo-ia em 2019, mas foi “apenas” o Campeonato, a Taça de Inglaterra e a Taça da Liga).

A FourFourTwo chama mesmo a este Man United a melhor equipa inglesa de sempre. E poderia não ter existido não fosse o pé esquerdo de Giggs e aquele golo ao Arsenal.

 

 

Época de sonho

Durante a época 1998-99, o United perdeu apenas 5 vezes:

  • a partida única do Charity Shield (Supertaça de Inglaterra) contra o Arsenal 3-0
  • na Taça da Liga contra o eventual vencedor Tottenham Hotspur 3-1
  • a sua única derrota em casa, contra o Middlesbrough em dezembro de 1998 2-3
  • e as duas derrotas fora de casa para o Arsenal 3-0 e Sheffield Wedneday 3-1 (em setembro e novembro, respectivamente)

A seguir ao desaire com o Sheffield o United encetou numa sequência de 33 jogos sem perder em todas as competições – começou em 26 de dezembro com um triunfo em casa sobre o Nottingham Forest e só terminaria a 26 de maio na final da Champions, com o triunfo sobre o Bayern 2-1.