A Alemanha enfrentou a Alemanha na Alemanha no Mundial de 1974. Ganhou a Alemanha e perdeu a Alemanha. Confuso?

Antes de o Muro cair em 1989 havia duas Alemanhas. A RFA e a RDA. O Campeonato do Mundo em 1974 realizou-se na Alemanha Ocidental e seria essa seleção a conquistar o título. Mas antes, na fase de grupos, quis o destino que as duas Alemanhas se defrontassem – e aí ganhou a Alemanha Oriental.

Jürgen Sparwasser foi o herói dessa partida em Hamburgo – autor do único golo do jogo aos 77 minutos, ficou até hoje como uma das grandes figuras do desporto da RDA.

A 22 de junho de 1974, no terceiro e último jogo do Grupo 1, as duas Alemanhas defrontaram-se: Oeste contra Este, Ocidente contra Oriente, RFA contra RDA.

O Volksparkstadion em Hamburgo estava cheio com 60 mil pessoas. Este seria até hoje o único jogo em que se enfrentariam estas duas selções, separadas desde 1961. Em plena Guerra Fria, capitalistas e socialistas cruzaram-se na prova mais importante de seleções.

A RFA tinha tudo a seu favor. Jogava em casa, a seleção tinha a base do Bayern de Munique acabado de se sagrar campeão europeu (seria o primeiro de três títulos seguidos na Taça dos Campeões) e apresentava-se com figuras como Beckenbauer, Uli Hoeness, Gerd Müller e o guarda-redes Sepp Maier.

Lutz Eigendorf, o traidor que a Stasi nunca perdoou

Do lado Oriental não se sabia muito, apenas que chegava a este jogo com 3 pontos – menos 1 que o rival do Ocidente – e ambos estavam já qualificados para a segunda fase. Restava saber quem passaria como líder do grupo.

O clima era tenso e o encontro com medidas de segurança inusitadas para uma partida que se jogava mais do que futebol: a política também estava em jogo.

Tudo apontava para um empate quando a 13 minutos do final Sparwasser, jogador do Magdeburgo e engenheiro mecânico de 26 anos, aproveitou uma desatenção da defesa e conseguiu bater Sepp Maier com um remate dentro da área.

«Foi atingir o inimigo onde mais lhe doía. Foi assim que muitas pessoas viram na altura. Se escrevessem Hamburgo 74 na minha lápide todos saberiam quem estava ali», disse Sparwasser anos depois sobre o lado político daquela partida

 

Sorte no jogo, azar nos grupos

Este resultado atirou a Alemanha Federal para o Grupo A com a Polónia, Suécia e Jugoslávia e deixou a Alemanha Democrática num grupo bem mais difícil com a Holanda mecânica de Cruijff, o Brasil campeão do mundo com Rivelino e a Argentina de Kempes e Yazalde (futura campeã em 1978).

Difícil e impossível de transpor.

A RDA seria eliminada com as derrotas ante o Brasil e a Holanda; o empate com a Argentina foi apenas uma luta entre os dois últimos.

Sparwasser deixaria o futebol poucos anos depois por causa de uma lesão e em 1988 fugiu para a Alemanha Federal. Por detrás desta decisão terá estado precisamente o golo que marcou pela Alemanha Oriental.

Depois daquele Mundial de 74 o jogador era assobiado em todos os estádios pelos adeptos desconfiados pelo seu golo que permitiu à RFA calhar num grupo muito mais acessível e avançar facilmente até à final – ao contrário da RDA.

No Grupo B, a RFA limpou tudo: 3 jogos-3 vitórias garantindo um lugar na final com a Holanda (os holandeses derrotaram o Brasil no jogo decisivo do Grupo A).

Na final de Munique, os alemães venceram 2-1.

No jogo para o terceiro lugar a Polónia derrotou o Brasil por 1-0, com um golo de Grzegorz Lato.