Já os conhecemos de ginjeira. E eles também já se conhecem um ao outro. É assim quando se chega aos 50.

Estamos a falar de 50 jogos entre eles – uma rivalidade que dura há 14 anos e estava 26-23 a favor de Djokovic. Bom, agora está 27-23 porque o sérvio deu uma tareia ao suíço nas meias finais do Open da Austrália.

O jogo teve pouca história. Djokovic despachou Federer em 3 sets, 7-6 (1), 6-4 e 6-3.

Foi tudo lucro para o sérvio. Entrou no court como número 2 do mundo (contra o número 3) e sabe que se ganhar a final de Melbourne recuperará o número 1 – Nadal perdeu a sua meia final com Thiem e deixou o caminho aberto.

Outro dado diz-nos que cada vez que o sérvio chega à final da Austrália… foi sempre campeão (e já o fez por 7 vezes).

Agora, vai enfrentar o vencedor do encontro entre Thiem e Zverev.

Mas não é isso que nos traz aqui. O jogo com Federer foi limpinho e acabou em pouco mais de duas horas. É o ponto impossível que o sérvio tirou da cartola para se colocar em posição privilegiada para fechar o segundo set no tie break.

Depois de uma bola bem puxada à rede com (mais uma) bela esquerda de Federer, Djokovic conseguiu ganhar terreno e colocar um amortie quase lateral à rede.

Enfim, o melhor é ver. E apreciar.