Mondo Duplantis tem 20 anos e é recordista mundial do salto com vara em pista coberta (6,18 metros) e agora ao ar livre (6,15 metros).

E tem um documentário realizado sobre a sua vida.

Pode assinar os papéis para o lar mais perto.

Ou então continuar a pular até ao infinito.

Há uma cena nesse filme (Born To Fly) em que Duplantis tenta explicar a uma miúda por que raio há uma câmara a segui-lo: “Faço salto em altura e estão a fazer um documentário sobre mim. Sei que é aborrecido mas é o que faço”.

Pronto é esta a vida de Mondo.

(estamos a falar de um miúdo que desde os 5 anos chega a casa depois da aulas e tem no quintal uma pista e um colchão para praticar salto com vara)

 

 

Adeus Bubka

Este é um senhor recorde.

Duplantis superou agora a altura estabelecida há 26 anos pelo ucraniano Serguei Bubka, campeão olímpico em 1988, que saltou 6,14 metros em julho de 1994, em Sestriere (Itália).

Respeito.

 

Até onde Mondo Duplantis?

 

O objetivo neste ano era precisamente bater a marca de Bubka nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Só que a pandemia impediu a realização da prova – mas não a obtenção do recorde.

Nos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro, o brasileiro Thiago Braz bateu o recorde olímpico e arrebatou o ouro ao saltar 6,03 metros, numa uma disputa histórica com o francÊs Renaud Lavillenie.

Em pista coberta, Lavillenie bateu o recorde mundial em 2014, com 6,16 metros, ao superar os 6,15 de Bubka em 1993.

Mas essa marca não durou muito. Meses depois Duplantis atingiria 6,17 metros na Polónia. Uma semana depois, aumentou um centímetro na Escócia.

Agora, o sueco detém as melhores marcas possíveis em todas as condições e deve chegar aos Jogos de Tóquio de 2021 ainda mais favorito.