Mourinho mentiu e festejou que nem um louco (tinha dito que o jogo 1000 na carreira não tinha importância).

Mentira.

O golo de El Shaarawy nos descontos deu a vitória à Roma 2-1 sobre o Sassuolo e deixou os romanos na liderança – e mostrou-nos um Mourinho louco da vida.

Desatou tudo a correr rumo a uma das bancadas mais icónicas do futebol mundial: a Sul dos Estádio Olímpico de Roma.

«Menti durante toda a semana. Disse a toda a gente que este não era um jogo especial e tentei até convencer-me a mim mesmo. Na realidade, este foi um jogo especial, porque pela frente tinha um número importante para mim, que vou guardar para sempre na minha vida. Estava apavorado pela possibilidade de associar esta memória a uma derrota e, por isso, menti a toda a gente»

Nós percebemos José.

Foram todos os jogadores a correr e logo a seguir apareceu… José Mourinho.

 

 

O treinador pulou do banco e só parou no colo dos jogadores.

Fez lembrar a célebre corrida em 2004 em Old Trafford (aquela noite em que o Porto eliminou o United e rumava à conquista da Champions).

Agora foi noutro recinto emblemático: na capital italiana, no seu reduto olímpico.

 

 

«Foi um jogo que podia ter terminado 7-7. Eles podiam ter ganhado 2-1, mas ganhámos nós. O Rui Patrício fez defesas incríveis, enquanto nós falhávamos chances claras. Creio que quem viu o jogo com um olhar neutro viu algo extraordinário, com imensa emoção»