A Roma foi goleada.

A Roma de José Mourinho – com Rui Patrício na baliza – saiu da Noruega vergada a uma das mais pesadas derrotas da história: 6-1.

Quem foi o autor? O Bodo/Glimt.

Quem? O líder da Eliteserien, a liga norueguesa.

Esqueçam o Molde ou o Rosenborg – agora quem manda na Noruega é o Bodo, atual campeão e quase bicampeão.

 

Goleada histórica

E o Bodo fez questão de o demonstrar frente à Roma.

Na terceira jornada da fase de grupos da Conference League o Bodo espetou 6 à equipa de Mourinho – com Patrício na baliza.

Esta foi a equipa que o técnico portugês escolheu:

  • Rui Patrício na baliza
  • Reynolds, Ibanez, Kumbulla e Calafiori na defesa
  • o meio-campo formado por Diawara, Villar e Darboe
  • e um trio ofensivo com Perez, El Shaarawy e Mayoral

Só não contavam com a noite inspiradíssima de Botheim.

 

 

Bodo não perde há 15 jogos

Mourinho podia ter feito o TPC. Nitidamente não o fez.

O Bodo lidera a liga noruueguesa – tem mais 3 pontos que o segundo o Molde a 7 jornadas do fim do campeonato.

 

 

Não perde há 15 jogos e joga com o Molde daqui a duas jornadas, na próxima quinta-feira: um triunfo pode ditar praticamente a conquista do título.

O segundo título da história – conquistou o primeiro em 2020 (leva dois quatro vice-campeonatos 1977, 1993, 2003 e 2019).

 

A noite de Botheim

Decorem este nome: Erik Botheim.

O novo Haaland: 2 golos e 3 assistências. Assim, sem mais.

  • Botheim 8 e 52
  • Berg 20
  • Solbakken 71 e 80
  • Pellegrino 78
    A Roma fez o 2-1 por Carlos Pérez aos 28

Botheim e Haaland: parceiros do crime na seleção norugeuesa

 

A manita em Camp Nou já era

Ao jogo 1008 Mourinho sofreu aquilo que nunca tinha sofrido.

Ultrapassando a derrota encaixada em Camp Nou com o Real Madrid em novembro de 2010, quando foi esmagado pelo Barcelona de Guardiola no Classico.

«A culpa é só minha, porque decidi jogar com esta equipa»

O Bodo/Glimt é um estreante numa fase de grupos de uma competição europeia.

Em mais de dez anos de carreira, só por uma vez Mou tinha perdido por mais de três golos de diferença: quando, em 23 de outubro de 2016 foi derrotado 4-0 em casa do Chelsea, ao serviço do Man United.