Os olhos estavam todos nele, em Erling Braut Haaland (o mesmo sentimento de Lewandovski quando foi a Munique na noite anterior defrontar a sua anterior equipa).

https://www.moosh.pt/promocoes/view/sem-risco-50/

Só que ao contrário do polaco – o Barça saiu derrotado frente ao Bayern – o norueguês não falhou contra o antigo emblema. E foi fecisivo na vitória sobre o Dortmund.

O Man City estava a perder a 10 minutos do fim, mas um golão de Stones empatou e seria o ponta-de-lança a marcar a noite.

 

 

Karaté Kid e Cruiyff

É escolher.

O golo foi tão acrobático quanto letal. Haaland é enorme (quase 2 metros) e terá sido isso mais o instinto predador dentro da área que fizeram a coisa acontecer.

A assistência de Cancelo é primorosa – uma trivela à Quaresma. Mas a elasticidade de Haaland fez quase tudo.

 

Edwards “maradoniano” e Henry rendido a Arthur

 

E sabemos quem é o mentor de Haaland neste salto – o Kesuke Miyagi do noruguês só pode ser Cruyff, como Guardiola lembrou logo a seguir ao jogo.

Quem melhor do que Pep, o barcelonista “filho” de Cruyff, para fazer esta comparação?

«Foi uma assistência incrível do João Cancelo e depois… que golo! Lembrei-me do Cruyff pelo Barcelona ao Atlético Madrid. Por isso, ainda bem que o Haaland emulou o Cruyff. Há ali também coisas do meu amigo Ibrahimovic, na forma como consegue elevar a perna, tem uma flexibilidade incrível» Guardiola sobre o golo de Haaland