Senhoras e senhores, eis Gauthier Mvumbi.

Nascido em França há 26 anos joga pelo país dos pais, naturais de Kinshasa. É pivot e apresenta-se com 1,92m e 110 kg (alguns dizem que pode chegar aos 140 kg) mas o seu remate é certeiro e demolidor.

Não se deixe espantar pelo peso: Luís Frade ou Victor Iturriza, dois dos pivots portugueses, pesam mais do que o franco-congolês.

 

 

Mvumbi é um animal feroz.

Joga no Dreux, clube da quarta divisão do andebol francês.

Foi o seu treinador no Dreux, Audray Tuzolana, também ele congolês e selecionador da RD Congo, quem o convidou para representar a seleção.

 

 

Mvumbi diz que agora no Campeonato do Mundo está a viver um sonho.

Sim, o Congo também está lá.

O Mundial de Andebol a decorrer no Egipto foi nesta edição alargado para 32 seleções pela primeira vez – o que permitiu a África ter 7 seleções na prova, também pela primeira vez.

Entre elas a de Cabo Verde e… da República Democrática do Congo, ambas umas estreias nestas andanças.

 

Mundial de Andebol: Está lá? São os quartos-de-final?