Hans-Dieter Flick assumiu o cargo interinamente quando Novak foi despedido à 10ª jornada depois da goleada sofrida frente ao Eintracht 5-1.

Essa goleada iria transformar toda a vida do clube bávaro.

Flick pegou na equipa no sexto lugar a 4 pontos do líder Borussia Mönchengladbach. No final da época os bávaros festejaram o título no campeonato, na Taça e na Champions.

Pelo meio espetaram 8 no Barcelona.

 

Uma tragédia em oito actos

 

Um ano depois da apresentação e de Flick ter varrido tudo na primeira época (na qual entrou a meio, não nos esqueçamos), entrou na presente temporada com o pé no acelerador – e acrescentou-lhe mais 2 títulos:

  • Supertaça da Alemanha
  • Supertaça europeia

Flick tem um registo de:

  • 43 vitórias
  • 1 empate
  • 3 derrotas

Média de 1 troféu a cada 9,4 jogos. Nada mau.

 

11/11, o caminho perfeito do Bayern que deu choro no final