O PSG goleou o Montpellier por 5-0, nada de novo para os parisienses que ocupam calmamente o 1º lugar (estão com mais 12 pontos que o Marselha…).

Mas o maior apontamento que tirámos do encontro não foi nenhum dos golos apontados por Sarabia, Di María, Mbappé, Kurzawa ou o autgolo de Congre. Ou a cara feia que Mbappé fez ao treinador Tuchel quando foi substituído por Icardi a 20 minutos do fim.

Não, não. Foi mesmo o cartão amarelo mostrado a Neymar. Não pelo cartão em si, mas o motivo.

  • não foi pelas birras que passa a vida a fazer (dia sim dia não quer sair de Paris)
  • nem por uma falta mais feia a um adversário
  • ou pela nova cor do cabelo (passou do amarelo para um rosa choque)
  • mas apenas e só por num toque que demonstra a sua genialidade: fez um “cabrito” durante uma jogada

Aos 37 minutos da primeria parte, Neymar fez a bola por cima de Souquet e este ainda conseguiu desviar a bola pela linha lateral.

O árbitro da partida, Jerome Brisard, não achou piada ao gesto e repreendeu o número 10. Neymar também não gostou da repirmenda e reclamou com Brisard que lhe mostrou cartão amarelo.

Claro que a coisa não se ficou por aqui.

Irritado com o sucedido, o brasileiro irrompeu pelos túneis dos balenários do Parque dos Príncipes (o PSG estava a jogar em Paris) na ida para o intervalo e discutiu com o quarto árbitro, Mehdi Mokhtari.

Neymar não percebeu a decisão e não perdeu tempo a contestá-la, alegando que estava só a jogar a futebol (a jogar bonito, dizemos nós).

«Jogar futebol é proibido nessa porra. Jogar futebol dá amarelo para mim agora. Jogo futebol, não falo porra nenhuma e eu tomo a porra de um amarelo»

O árbitro auxiliar pediu, em inglês, para que o jogador “falasse francês”, gerando ainda mais ira por parte do atacante brasileiro.

“Speak french é o caralho, vai tomar no cu”.