O fim de semana do primeiro PPV do ano no UFC está aí a bater à porta.

 

A temporada do melhor do mma será encabeçada pelos ‘big-guys’, em duelo de disputa do cinturão de pesos-pesados, e há ainda trilogia nos ‘levezinhos’, com o primeiro campeão nascido no México a defrontar uma vez mais o ‘Deus da Guerra’, agora na condição de campeão dos peso-mosca.

Não faltará emoção ao card do UFC 270, numa noite onde inclusive haverá presença lusa no octógono, com André Fialho a fazer a sua estreia nos meio-médios contra Michel Pereira.

 

Francis Ngannou @ 2,20 vs Cyril Gane @ 1,66

A espera foi longa mas é desta que Francis Ngannou (16-3) vai voltar ao octógono do UFC para a última luta do seu actual contrato.

O que acontecerá depois da luta logo se verá e vai depender muito do desfecho final que, em caso de vitória, deve significar um ultimato do género “ou me pagam mais, ou vou-me embora”.

As opções são muitas e bastante aliciantes, entre elas a possibilidade de virar costas ao mma e piscar o olho aos milhões do boxe numa luta com Tyson Fury.

Depois da jiga-joga com a organização e da potencial luta com Jon Jones ter ficado pelo caminho, assim como o seu título, ‘The predator’ vê agora o retorno marcado por um tête-à-tête com o seu antigo parceiro de treinos, o francês Cyril Gane (10-0).

A relação entre os dois tem azedado nos últimos tempos, que dá a esta luta uma dose extra de emoção, mas é sobretudo no plano técnico e estratégico que podemos antecipar um duelo fascinante.

 

https://twitter.com/ufc/status/1483907115227910150

 

Face ao domínio absoluto de Ngannou nas últimas 5 aparições, onde apenas por uma vez nocauteou o adversário para além do primeiro assalto (foi no segundo, contra o campeão à data, Stipe Miocic), é improvável imaginar-se um cenário que não a completa aniquilação do oponente, por parte daquele que é, sem sombra de dúvidas, o actual detentor das mãos mais pesadas da organização, talvez até de toda a história.

Na teoria, Cyril Gane é o adversário com as armas perfeitas para anular o jogo do ‘The Predator’.

Para além de estar já familiarizado com as habilidades do francês, possui uma versatilidade invejável para alguém do seu tamanho.

 

https://twitter.com/ciryl_gane/status/1451554016257843205

 

A base de muay thai é notória nos seus combates e podemos esperar a presença de uma variedade de combinações com as mãos, pontapés, cotoveladas, joelhadas e, acima de tudo, um jogo de pés e mobilidade que podem dificultar a vida de Ngannou, habituado a defrontar adversários mais estáticos.

 

Brandon Moreno @ 1,54 vs Deiveson Figueiredo @ 2,45

No panorama actual do UFC é raro assistir-se a trilogias que despertem tanta expectativa. Depois do fogo de artifício das duas primeiras lutas, a divisão ganhou dois parceiros de dança que encaixam na perfeição, ao trazerem consecutivamente para o octógono lutas com emoção do princípio ao fim.

Depois da saída de cena de Henry Cejudo, Deiveson Figueiredo (20-2-1) e agora Brandon Moreno (19-5-2), deram uma autêntica lufada de ar fresco a uma divisão dos peso mosca com os dias contados.

Talvez por isso o cenário de uma trilogia fosse o mais provável, contrariando o que tem acontecido nas restantes divisões.

A primeira foi para a história. Deu empate no final, coisa que raramente acontece, e o brasileiro manteve o título como mandam as regras.

À segunda, o mexicano dominou, fez história, e levou para Tijuana o primeiro título mundial na modalidade para um atleta nascido e criado no México.

 

 

A terceira promete.

O brasileiro volta com vontade de recuperar o título que outrora lhe pertenceu e até arrumou malas e bagagens para Phoenix, Arizona, nos Estados Unidos, onde fez toda a sua preparação e estreitou relações com Henry Cejudo, o antigo campeão do título que procura agora reaver e que é agora o seu novo mentor.

 

Michel Pereira @ 1,27 vs André Fialho @ 2,95

Depois da chegada aos Estados Unidos, com passagens por organizações como o Bellator e PFL, André Fialho (14-3), o primeiro português a dar a cara pelo mma português além fronteiras, chega finalmente à melhor organização do mundo e com confiança renovada.

 

 

Depois de alguns sobressaltos pelo caminho o sonho será finalmente concretizado na madrugada de domingo.

A tarefa não será fácil, já que terá pelo caminho o experiente Michel Pereira (26-11), mas as suas mãos pesadas poderão fazer a diferença numa altura em que a confiança está também em altas, depois de 4 vitórias seguidas por K.0.

Tudo a postos para o primeiro PPV do ano?