Depois de a Liga Europa ter arrancado em grande estilo, agora é a vez da Liga dos Campeões.

Os melhores contra os melhores e um sorteio que juntou muitos tubarões num só lado do caminho até à final de Lisboa. Quem vai ganhar? O Lateral Esquerdo deixa algumas dicas.

 

Juventus vs Lyon

A equipa de Sarri procurará reverter a desvantagem trazida de Espanha, e embora esteja muito longe do encanto de outrora terá a vantagem importante da falta de ritmo competitivo de um Lyon que viu a sua Liga terminar na paragem pela pandemia.

O 4x3x3 com que pressiona na primeira fase e com que assume o seu ataque posicional transforma-se em 4x4x2 com linhas mais baixas com a incorporação de Dybala ou Douglas na linha média, e precisará de ser bastante mais agressivo e proactivo defensivamente se pretende provocar desconforto, roubar a posse e ganhar tempo ao Lyon.

A equipa de Rudi Garcia chega ao grande confronto europeu em plena pré época, que tem até sido profícua ao nível dos seus resultados. Deverá manter no Delle Alpi o 3x4x3 que se organiza com Aouar nas costas dos velozes Dembelé e Depay.

Última linha a cinco elementos procurará controlar Cristiano na zona de finalização, mas é muito pelo que poderá fazer ofensivamente, até porque a linha ofensiva da Juve não é agressiva, que os franceses poderão surpreende.

Promessas de golo e grande competitividade, onde embora favorita, a velha senhora terá de enfrentar uma tarefa bem árdua.

Ultrapassando o Lyon chegará o vencedor do Man City vs Real Madrid para Sarri “desembrulhar”.

 

Man City vs Real Madrid

O Real de Zidane chega a Manchester campeão de Espanha, todavia com muito menos futebol que o rival, e ainda em desvantagem na eliminatória.

O regresso do futebol voltou a trazer uma equipa de Guardiola asfixiante com e sem bola. Capaz de levar pacientemente a bola até ao último terço como é seu apanágio, e ai cercar adversários reagindo prontamente na perda, e sobretudo beneficiando de um De Bruyne a um nível galático, capaz de desequilibrar com ideias e passes de ruptura, enquanto no corredor lateral Sterling finaliza e assiste.

Com Benzema a um nível incrível suportado pela qualidade dos veteranos Modric e Kroos, o Real tem sempre condições para discutir cada partida. Porém, taticamente está o Real bem longe do preparo do City e tal tenderá a levar o jogo para o meio campo dos “blancos”.

Um confronto entre várias das melhores individualidades do futebol mundial que se transforma sempre numa partida imperdível.

E se os oitavos já prometem, um possível conforto em Lisboa com a velha senhora, a toda poderosa Juventus, faz aguçar o apetite.

 

Barcelona vs Nápoles

Quique Setién tem na conquista da “orelhuda” o ponto de salvação de toda a temporada e orgulho “culé”, e receberá o Napoli sabendo que o empate a zeros dará apuramento.

Muito longe de encantar, o Barcelona terá na reactividade e agressividade de Vidal e De Jong forma de condicionar qualquer investida adversária, e ainda reagir de forma veloz aos momentos da perda.

No fundo, equilíbrios que com Sergio Busquets possibilitam o aparecimento de Messi e Suarez na frente de ataque com menores responsabilidades defensivas. O astro argentino continua a inventar espaços e situações. Atrai oposição e encontra homem livre. Hoje com menos bola porque suportado por um colectivo menos capaz, mas com a capacidade de definição de sempre.

Do outro lado o Napoli de Gattuso tornou-se uma equipa muito difícil de bater aquando do seu momento de Organização Defensiva. Em 4x1x4x1, retira espaço entre linhas, controla bem as entradas exteriores, concentra muitos elementos sobre a zona da bola garantindo superioridade e revela competências que poucas outras terão como forma de parar Leo Messi.

Fechados caminhos para a sua baliza, os transalpinos colocam em Mertens, Insigne e Callejon expectativa para criar oportunidades que possam fazer discutir a eliminatória.

A matriz tática da partida poderá equilibrar o desnível individual entre os dois confrontos e tornar o jogo ainda mais aprazível.

Garantido o apuramento chegará o Bayern nos Quartos de Final em Lisboa, num jogo verdadeiramente prometedor

 

Bayern Munique vs Chelsea

Eliminatória fechada em Londres depois da goleada bávara por três bolas a zero.

O Bayern surgiu no período pós pandemia dando sequência ao nível elevadíssimo a que já se vinha apresentando, e mostrou ser no momento uma das mais poderosas equipas do futebol mundial.

Uma capacidade de construção incrível que assenta na saída de bola de Alaba e dos movimentos de aproximação de Kimmich e Alcantara, capazes de descobrir incessantemente no espaço entre linhas jogadores de grande capacidade de definição. Coutinho ou Coman por dentro, próximos de Muller enquanto Lewandowski alterna momentos em que pede em apoio com outros que pede para finalizar. Enquanto no corredor direito, Gnabry tem o desequilíbrio e a finalização dos predestinados.

O Chelsea de Lampard foi uma das boas surpresas da temporada em Inglaterra, revelando jovens de enorme potencial, dos quais Mason Mount o mais excitante pela capacidade que já demonstra para jogar entre linhas.

Com Gilmour nas costas e Willian mais próximo do último terço, O Chelsea reúne condições para tentar sair da teia bávara e quem sabe discutir a partida. Mas, nunca a eliminatória.

Depois de fechar a eliminatória, o todo poderoso Bayern viajará para Lisboa onde defrontará muito provavelmente o Barcelona.

 

PREVISÃO:

Quartos de final

Juventus vs Man City

Barcelona vs Bayern Munique

Leipzig vs Atlético Madrid

Atalanta vs PSG

 

Meias-finais

Man City vs Bayern Munique

Atlético Madrid vs PSG

 

Final

Bayern Munique vs Atlético Madrid

Vencedor: Bayern