Porto, Benfica e Braga façam-se à vida.

O sorteio da Champions pôs a Juventus e o Ronaldo no Dragão, o Arsenal e o Aubameyang na Luz e a Roma e o Džeko na Pedreira. É isto.

Bom, temia-se o pior já que quer portistas na Liga dos Campeões quer benfiquistas e bracarenses na Liga Europa estavam no lado errado do Pote.

O Porto estava no Pote 2 e à mercê de vários tubarões (Bayern, Real, City, Liverpool, Chelsea, Dortmund, Juventus ou PSG eram uma das possibilidades) no embate dos oitavos de final.

Saíu Juventus, como diria o Bruno Aleixo.

 

 

Ou seja, Cristiano Ronaldo (ele que venceu o único prémio Puskás que tem no CV precisamente com um golo no Dragão quando ainda jogava no Man United) apresenta-se na Invicta com os campeões italianos em fevereiro – a segunda mão é em março, em Turim.

 

Puskás: o prémio vai para o calcanhar de Suárez, a bicicleta de Arrascaeta ou o tiro de Caroline?

 

Juventus e Porto defrontaram-se em 5 ocasiões e os portistas nunca venceram os italianos:

  • o melhor que conseguiram foi um empate, com um saldo de 8-2 em golos marcados e sofridos, favorável à Juventus

Se levantarmos o véu à equipa que venceu os últimos 9 scudetos em Itália podemos espreitar coisas boas e… más.

Na Europa, a vitória em Camp Nou foi o ponto alto desta época. Em Itália, o quarto lugar actual atesta uma irregularidade fora do comum, como escreve o Nuno Sousa no Público.

Os jogos da Liga dos Campeões regressam nos dias 15, 16, 23 e 24 de fevereiro, com a primeira mão dos oitavos de final – e a segunda mão a 9, 10, 16 e 17 de março.

 

Benfica e Braga e a maldição do segundo lugar

O Benfica e o Braga estão a pagar pelos pecados cometidos na fase de grupos da Liga Europa.

 

 

Ficaram ambos em segundo nos respectivos grupos – a equipa de Jesu atrás do Rangers e a formação de Carvalhal ultrapassada pelo Leicester – e a coisa para os 16 avos de final não podia ser boa ficando fora do lote dos cabeças de série.

Mas  como tudo na vida, há que olhar para o lado mais positivo (sim, estamos a citar Monty Python).

I mean, what have you got to lose?
You know, you come from nothing
You’re going back to nothing
What have you lost? Nothing

A equipa de Jesus enfrenta um adversário renomado mas que está a fazer um campeonato medíocre – é 15º a 12 pontos do líder Tottenham (e sem qualquer triunfo nos últimos 5 encontros da Premier League).

Melhor é o percurso dos gunners na Liga Europa.

No grupo com Dundalk, Molde e Rapid Viena varreram tudo e venceram todos os jogos, fechando a fase de grupos com 20 golos marcados e 5 sofridos.

Mas temos memória e lembramo-nos bem daquele 1-3 em Highbury com dois golos de Isaias, um deles no prolongamento (depois do 1-1 na Luz, também com um golo do brasileiro).

 

 

 

Amigo, amigo Braga à parte

Carlos Carvalhal vai reencontrar um velho amigo: o treinador português Paulo Fonseca (também ele já passou pelo Braga).

A Roma ocupa o 6º lugar na Série A, mas engana porque está a apenas 3 pontos do segundo – e sabe que Fonseca conhece com profundidade o futebol português e os cantos da Pedereira (passou por lá enrte 2015-16).

Na fase de grupos a Roma impôs-se ao Young Boys, Cluj e CSKA Sófia e sofreu apenas uma derrota – na Bulgária, na última jornada, num jogo já com o apuramento assegurado e com uma equipa de segundas escolhas.