Foi ele e mais ninguém e ainda por cima orgulha-se disso. Lennart Johansson himself. Durante o seu reinado de 17 anos à frente da UEFA (1990-2007) esticou o formato da Taça dos Campeões para permitir a entrada de equipas não campeãs nos seus países.

Inventou uma Liga onde antes existia uma prova só com eliminatórias – chamou-lhe Liga dos Campeões. Mas que na verdade não tinham só campeões (hoje em dia alberga até quartos classificados).

Hoje 19h45
Meia final Liga das Nações
Portugal vs Suíça
1.54 – 3.35 – 4.95

Peguemos na final da Champions deste ano: entre o 3.º e o 4.º da Premier League do ano anterior. Sim, isso mesmo o Tottenham foi terceiro e o Liverpool quarto.

 

Never give up Klopp

 

Mais um pouco e até conseguia ter na final uma equipa que nunca ganhou um campeonato: valem os dois únicos títulos dos Spurs em 1951 e 1961 (o Liverpool tem 18).

Como aconteceu em 2002.

O Bayer Leverkusen é a única equipa a ter chegado a uma final da Champions sem nunca ter sido campeão alemão (o máximo que conseguiu foi uma Taça da Alemanha em 1993 – e uma Taça UEFA em 1988).

A alcunha de Neverkusen surgiu precisamente nessa semana em que o Bayer perdeu tudo:

4 maio – Bundesliga (viu o Dortmund bater o Bremen e vencer a Liga por 1 ponto)
11 maio – Taça da Alemanha (perdeu a final para o Schalke 2-4)
15 de maio – Champions (perdeu a final para o Real Madrid 1-2)

 

O pai da Champions

 

Johansson disse que criar a Liga dos Campeões substituindo Taça dos Campeões foi o seu maior feito e que maior orgulho lhe deu no tempo que passou na presidência da UEFA.

A expansão do torneio tornou a competição de clubes mais lucrativa e com maior prestígio no mundo.

O antigo presidente tinha um prémio com a inscrição “Para Lennart Johansson, o pai da Liga dos Campeões” num escritório que mantinha no Estádio Nacional da Suécia, em Estocolmo.

«It’s the biggest tournament we have in football for clubs, watched all over the world. We send it to about 200 countries and if you listen to the players about their wish for the future, it’s ‘I would love to be in the final of the Champions League» Johanssonhe numa entrevista em 2010 à Associated Press

Johansson também transformou a UEFA, passou de um órgão administrativo para uma empresa comercial que gere as competições do principais clubes da Europa e de cada país.

Passou também a sua sede dos subúrbios da capital suíça Berna para umas instalações modernas em Nyon ao pé do lago de Genebra.