Situada na zona sul do país, como quase todas as cidades suecas de maior dimensão, está Norrköping. Mais precisamente, encontra-se a 2 horas de carro da capital Estocolmo e no secúlo XIX — diz-nos a Wikipédia — continha 80% da indústria têxtil do país, o que fez com que tivesse ganho a alcunha de Manchester da Suécia.

O que, a avaliar pelo actual momento do United, talvez fosse boa ideia recuperar, sobretudo porque também o IFK Norrköping, clube da cidade e líder da Allsvenskan (primeira liga sueca), vive tempos de excitação.

Tem, neste momento, cinco vitórias e um empate (16 pontos), mais três que o Mjallby, que soma já sete jogos disputados.

Mas o pior é a diferença para o grande e eterno principal candidato ao título sueco, o Malmö, que já vai nos 7 pontos, tendo em conta as duas vitórias, três empates e uma derrota nas rondas até aqui jogadas.

E hoje que dia será? Hoje é dia de Malmö vs Norrköping, um duelo que tem tudo para ser quentinho e espicaçado — por falar em picos, a cidade de Norrköping tem um jardim municipal, o Carl Johans Park, que é a casa de mais de 25 mil cactos.

Segunda-feira 13 julho 18h00
Suécia – Allsvenskan
Malmö vs IFK Norrkoping
1,95 – 3,00 – 3,20

 

É que, sejamos sinceros, a vida já está torta para os pupilos de John Dahl Tomasson, mas se não vencem esta jornada, talvez jamais se endireite — os Xutos & Pontapés voltaram aos palcos a semana passada e esta é a merecida homenagem.

O Malmö, plantel mais robusto da Allsvenskan, equipa com mais poderio financeiro e que há dois anos não ergue a taça de campeão, ficaria a uma distância bastante significativa, de 10 pontos, em caso de derrota. E o Norrköping ficaria, definitivamente, lançado para uma candidatura ao título que não deixa de ser algo surpreendente para a turma de Jens Gustafsson.

Treinador que aqui chegou depois do último título do Norrköping (terceira equipa com mais títulos nacionais depois de Malmö e de Gotemburgo), depois da mudança de Janne Andersson para a selecção da Suécia.

Dessa equipa, campeã em 2015, sobram neste plantel os defesas Filip Dagerstal (que na altura tinha 17 anos e é, por isso, ainda um jovem importante no plantel) e o Christopher Telo, lateral-esquerdo que tem sido preterido por Lars Gerson. Outro elemento que ainda resta no plantel é o médio Alexander Fransson, que também tem começado no banco.

O grande sobrevivente é o segundo melhor marcador da competição até ao momento, Christoffer Nyman, um ponta-de-lança sueco, de 27 anos, que depois de marcar 10 golos na liga de 2015 e 9 em 2016, viria a ser resgatado para o Eintracht de Braunschweig, da Bundesliga 2, onde viria a marcar 11 golos em 2016/17 e 5 em 2017/18.

Depois disso, a equipa viria a cair para o terceiro escalão alemão — de onde, já agora, conseguiu subir recentemente, sendo terceiro classificado — e Nyman voltaria a casa, para se revelar como um dos mais importantes elementos do Norrköping.

É obviamente demasiado cedo para se decidir o que quer que seja quando só agora se completa a sétima jornada do campeonato.

Mas para o Malmö, ficar a dez pontos do primeiro, seria, nem que apenas mentalmente, um duro golpe. E a cadeira de baloiço de John Dahl Tomasson pode começar a ficar mais bamba do que já se encontra.

Para o Norrköping, é mais um jogo. Um jogo onde não perder significa continuar o brilhante caminho até aqui realizado na Allsvenskan.

Se o título acabar por ficar no jardim de cactos, será o terceiro campeão diferente em três anos. O que prova que aqui no Norte a estabilidade — e a supremacia — é mero vício de reis.