Com apenas seis minutos entre as provas, Emma McKeon foi para a piscina quente para tirar o ácido láctico das pernas.

Voltou pouco depois para junto da seleção australiana antes de sair do bloco para a sua 11ª corrida da semana.

Saiu da água com um recorde que os Jogos Olímpicos não viam desde 1952: 7 medalhas.

 

 

Recorde com 70 anos

Com sete medalhas no Japão (quatro de ouro e três de bronze), McKeon igualou a ginasta Mariya Gorokhovskaya como as únicas mulheres a conquistarem tantos pódios numa só edição olímpica.

É preciso irmos até Helsínquia e ao feito de Mariya há quase 70 anos para vermos algo assim.

 

 

A australiana foi ouro em duas provas individuais (100m livres e 50m livres, esta com recorde olímpico de 23,81s) e duas por equipas (4x100m livres e 4x100m mistos), além de garantir o bronze nos 100m mariposa, nos 4x200m livres e no 4x100m mistos.

Com histórico familiar na natação (o pai e o irmão foram atletas olímpicos), Emma começou cedo nas piscinas e coleciona medalhas desde 2010, quando já era um prodígio de 16 anos

 

 

 

Rio 2016

A história olímpica de Emma começou há cinco anos no Rio de Janeiro.

Deixou o Brasil com quatro medalhas ao peito: uma de ouro, duas de prata e outra de bronze.

Com as sete de Tóquio soma 11 e pretende ir a Paris daqui a 3 anos buscar mais.

Só Michael Phelps, Mark Spitz e Matt Biondi têm pelo menos 7 medalhas olímpicas na mesma edição – agora temos Emma Mckeon