Pum! Djokovic caiu para terceiro do ranking e abriu um precedente à nova geração.

Os dois primeiros nomes da lista mundial são agora Daniil Medvedev e Alexander Zverev. Desde 2003 que pelo menos um dos Big 3 era primeiro ou segundo do ranking.

 

Not anymore

Daniil Medvedev até se deu ao luxo de uma derrota pouco dignificante contra o 205 do mundo, o neerlandês Tim van Rijthoven, mas já sabia que ia regressar ao topo do mundo.

E em segundo aparece Alexander Zverev, devido às duas excelentes semanas em Roland Garros (apenas travado por uma grave lesão na meia-final com Nadal).

 

Afinal, Djokovic é humano (eis Medvedev para o provar)

 

Medvedev e Zverev subiram uma posição no ranking e atiraram o antigo líder Novak Djokovic para terceiro.

Desde novembro de 2003 que o top 2 do ranking teve sempre pelo menos um destes nomes: Rafael Nadal, Novak Djokovic ou Roger Federer.

Foi preciso esperar pela terceira semana de 2022 para não os ver por lá.

 

Nadal à porta

Apesar da vitória em Paris e de ter acrescentado mais um Grand Slam à sua extensa lista (agora com um recorde de 22), Nadal é 4º na lista ATP.

Para encontrar Roger Federer é preciso baixar e baixar no ranking: o suíço, fora dos courts desde agosto, recupera de mais uma operação ao joelho – e é 68º do ranking, um tombo de 18 lugares face à última semana.

 

Tiger Woods voltou (e é um dos maiores regressos de sempre)

 

É a primeira vez em 22 anos que Federer sai do top 50 do ténis.

Aos 40 anos só deverá regressar à competição no final do verão, numa última e derradeira tentativa de regressar ao circuito.

 

Nadal à beira de fazer história, Medvedev à beira da loucura