Abel já tinha entrado para a história do Palmeiras com a conquista da Libertadores o ano passado – agora com o bi é um dos maiores nomes de sempre do clube.

A vitória na final da Taça Libertadores sobre o Flamengo 2-1 em Montevideu abriu de vez a galeria dos maiores nomes da América do Sul ao treinador do Palmeiras.

Abel tem o continente a seus pés.

 

 

Contratado em outubro de 2020, Abel Ferreira nunca perdeu um único jogo à frente do Palmeiras como visitante na Libertadores.

Sob o seu comando amealhou:

  • seis vitórias e três empates
  • 16 golos marcados e 7 sofridos

«Estou muito tranquilo e calmo. Com o dever cumprido. A forma como vivemos o futebol é muito intensa, aqui no Brasil é muito intenso. Vou ter que refletir o que quero para o presente e para o futuro» Abel

 

Leonardo, um Jardim campeão da Ásia

 

O português, aliás, faz parte agora de um seleto grupo de treinadores de times brasileiros que têm duas conquistas no torneio.

Além dele, Luís Alonso Pérez, o Lula (campeão com o Santos em 1962 e 1963), Luiz Felipe Scolari (que venceu pelo Grêmio em 1995 e pelo Palmeiras em 1999), Paulo Autuori (vencedor com o Cruzeiro em 1997 e com o São Paulo em 2005) e Telê Santana (bicampeão no comando do São Paulo em 1992 e 1993) formam parte dessa lista.

 

Scolari ultrapassado

O segundo título seguido conquistado por Abel coloca-o no mesmo paratamar de nomes históricos do futebol sul-americano:

  • Telê Santana, campeão com o São Paulo em 1992 e 1993
  • e Carlos Bianchi, vencedor com o Boca Juniors em 2000 e 2001

E deixa o português à frente de Luiz Felipe Scorali – o antigo selecionador português tinha uma conquista continental com o Palmeiras em 1999.

 

 

Nova final brasileira

Há um ano o Palmeiras bateu na final o Santos (1-0).

Este ano voltou a defrontar um adversário brasileiro – o Flamengo (que em 2019 conquistou a Libertadores com Jorge Jesus – também saiu derrotado.

Depois do empate 1-1 nos 90 minutos, o jogo foi para prolongamento.

Aí apareceu o salvador Deyverson (e o réu Andreas Pereira).

 

Deyverson, o herói (Andreas Pereira, o vilão)

 

A vida continuou para o Palmeiras de Abel como tinha sido em 2020.

Abel é bicampeão – o Palmeiras é tricampeão.

E a América do Sul pintada de verde.

 

Raphal Veiga marcou logo aos 5 minutos para o Palmeiras.

Na segunda parte, Gabigol empatou aos 72 minutos.

No Estádio Centenario no Uruguai, o golo da vitória (e do título) apareceu ao minuto 95: Deyverson aproveitou um erro da defesa e fez 2-1.