O Sérgio está cada vez mais gordinho.

Falamos de títulos evidentemente – juntou mais dois à conta pessoal (Campeonato e Taça de 2020 ao Campeonato e Supertaça de 2018).

E estamos a falar enquanto treinador senão tínhamos de começar a contar os títulos com o campeonato da II Liga ganho em 1995 quando jogava no Leça (e aos outros 11 que venceu no Porto e na Lazio entre 1996 e 2004).

É obra.

Agora foi ele o responsável pela 8ª dobradinha do Porto, mas a primeira frente ao Benfica. Se isso não conta como título (e não conta mesmo), as vitórias de Sérgio Conceição esta época nos clássicos abrem um precedente histórico.

Aqui o técnico encheu a pança:

O treinador foi campeão nacional, venceu a Taça de Portugal e foi o primeiro no Porto a ganhar cinco (CINCO) clássicos numa época:

  • venceu o Benfica na Luz em agosto 0-2
  • bateu o Sporting no início do ano em Alvalade 1-2
  • no Dragão repetiu a dose com o Benfica em fevereiro 3-2
  • e fê-lo de novo com o Sporting em julho 2-0 para festejar o título de campeão
  • a cereja nos clássicos foi agora a final da Taça em Coimbra contra o Benfica 2-1

 

 

Sérgio ficou apenas a uma vitória de Jimmy Hagan – o treinador do Benfica que em 1971-72 venceu seis (SEIS) clássicos numa temporada:

  • vitória nas Antas logo na 1ª jornada 1-3
  • triunfo em Alvalade à 14ª jornada 0-3
  • nova vitória sobre o Porto agora na Luz 1-0
  • goleada ao Porto nas meias-finais da Taça 6-0
  • vitória 2-1 em casa sobre o Sporting
  • conquista da Taça com triunfo sobre os leões na final 3-2 (no prolongamento)

 

 

Dobradinha a dobrar

Sérgio entrou também para a história do Porto como vencedor da dobradinha como treinador e como jogador.

O treinador de 45 anos juntou-se a José Maria Pedroto, António Morais e António Oliveira.

Se formos aos outros clubes, Sérgio foi o 14.º a vencer a Taça enquanto jogador e treinador.

 

Final da Taça fora do Jamor? É a sexta vez