É quase inegável dizer que Sporting e Braga foram duas das melhores equipas da época passada.

Mas isso já lá vai. É tempo de olhar em frente. Para o futuro próximo, se quiser.

Os dois clubes tiveram os seus conflitos – olá Ruben Amorim – mas agora parecem ter adaptado a mesma estratégia: aposta no mercado interno português e na formação.

 

Antevisão de um encaixe táctico (e a repetição da final da Taça da Liga)

 

Vamos olhar para algumas das estrelas emergentes.

É que o primeiro grande teste vai disputar-se já no próximo dia 31 de julho e é na Supertaça que se começa a perceber o que as equipas podem valer no resto da época.

Ou não. Mas vamos assumir que sim.

 

Gonçalo Esteves

Comecemos pelos leões. Gonçalo Esteves, irmão de Tomás Esteves, deixou o irmão e a formação dos dragões para vir rumar a Alvalade.

Tem apenas 17 anos e joga na lateral direita.

E é capaz de ser uma das sensações da pré-época do Sporting.

 

 

Ataca bem, é rápido, tem muito para aprender.

Ok, sim, tem lá Ricardo Esgaio e Pedro Porro, mas Amorim gosta de apostar nos miúdos, por isso não é de estragar que em Taças da Liga desta vida, Gonçalo tenha a sua hipótese de brilhar.

Natural de Arco de Valdevez, é internacional sub-16, pode agora piscar o olho também na equipa B e nos sub-23. Vai ter um ano cansado a mexer muito as pernas, de certeza.Só precisa de alguém que saiba polir este diamante.

E sabemos quem, ah sabemos, sabemos.

 

Tiago Ferreira

“Tiago Ferreira dá nas vistas”, escreve a imprensa nacional.

Tem apenas 19 anos, joga lá bem na frente, e já vai na 12º temporada de leão ao peito.

Joga a extremo, ao ataque, a médio ofensivo, o que for.

É pau para toda a obra. Numa entrevista rápida recente, disse que o jogador que queria mais conhecer era o Sebastian Coates. A sério.

 

 

Qualquer dia os jogadores saltam diretamente do berço para o campo.

Na sua praxe no escalão principal, cantou o “Ai Se Eu Te Pego”.

Pois bem, é a pergunta que Tiago Ferreira tem de fazer: se jogar bem, pode mesmo pegar de estaca.

 

José Martínez Marsà

Terminamos com um espanhol que ninguém percebe muito bem por que é que veio parar a Portugal, já que estava no Barcelona, clube com as melhores formações do mundo inteiro.

Um central com 19 anos.

Saiu da Catalunha treze anos depois de lá ter entrado.

 

 

O engraçado é que vai para a equipa B dos leões. Disse que o sucesso de Porro o inspirou.

Veremos se chega sequer a ter oportunidade de calçar na principal.

Pode ser voltar para Espanha.

Sim, não se deve voltar a uma casa onde já se foi feliz, mas às vezes não há alternativa.

 

Tiago Esgaio

Agora vamos para Braga, porque está lá um Esgaio.

O Ricardo foi para os leões, o Tiago, que foi precisamente ocupar a vaga do irmão.

Estranho. Mas o futebol é assim.

Já tem 25 anos, andou pelo Belenenses SAD (duas épocas praticamente completas na primeira liga), Torrense, Caldas SC, Rio Ave e União de Leiria, por exemplo.

 

 

Ou seja, sabe trocar de casa, aviar as malas e seguir em frente.

E pode já encontrar o irmão na Supertaça, logo ele que foi o primeiro reforço dos arsenalistas para esta época. Ou seja, muitas emoções à mistura.

Mas Tiago já é crescidinho, não é como os miúdos do Sporting.

Resta saber se tem tanta força para não se deixar levar pelas tais emoções.

 

Roger Fernandes

Agora outro nome, e este é para se ter mesmo atenção, até porque tem menos dez anos do que Tiago Esgaio.

Roger Fernandes, o menino sensação do SC Braga nesta pré-temporada.

Carlos Carvalhal chamou o extremo, já marcou golos e só há uns 2 ou 3 meses é que começou a jogar nos sub-19.

 

 

E já está a ameaçar o lugar de Galeno.

O técnico bracarense diz que deixou a folha em branco (onde aponta posições a corrigir) quando o avaliou.

Só ficou mais surpreendido porque Roger estudou a própria equipa onde joga e não outra qualquer.

Sabe bem o que tem de fazer para agarrar o lugar. Ai sabe, sabe…

 

Mario González

Terminamos, novamente, com um espanhol: Mario González, um dos melhores marcadores da liga NOS, ao serviço do Tondela – foi o quarto melhor, atenção, atenção.

Só ele e Pedro Gonçalves é que fizeram um hat-trick.

 

 

E foi o único a entrar nos quatro primeiros lugares que não pertence aos três grandes.

Atenção, atenção.

Foi apresentado com muita graça, em jeito de videojogo, e diz que está aqui “para dar tudo”. Boa. Quem não?

 

 

Veio do Vilarreal, onde fez praticamente toda a sua carreira até agora mas ainda passou por França, pelo Clemont.

Estreou-se com apenas 20 anos na Liga dos Campeões mas as lesões atrasaram uma ascensão mais rápida.

Vá, ainda “só” tem 25 anos.