Se veio aqui por causa da Shakira e da Jennifer Lopez avance até ao vídeo em baixo. Se quiser saber como é que os Chiefs tomaram conta do Super Bowl basta ler este nome: Patrick Mahomes.

O quarteback de 24 anos foi eleito o MVP da prova (como tinha acontecido na temporada 2018/19). Além dos passes teleguiados para os companheiros, o número 15 dos Chiefs fez um touchdown no primeiro Super Bowl da carreira.

Mas não é tudo. Mahomes tornou-se o mais jovem jogador MVP da temporada regular da NFL e a conquistar o anel de campeão do Super Bowl. Durante toda a época, o QB levou os Chiefs a reviravoltas épicas e a de ontem foi a quinta do ano  – três aconteceram em jogos dos playoffs.

Chapeua.

No final ficou 31-20 para chegar ao segundo título, o primeiro em 50 anos.

Quando foram campeões pela última vez Richard Nixon estava na Casa Branca, Diana Ross ainda estava nas Supremes e Paul McCartney não tinha deixado os Beatles.

O melhor é que McCartney esteve presente na fabulosa noite de ontem, em Miami (OK que o estádio se chama Hard Rock).

Vamos até às mãos de Mahomes. O QB teve uma grande noite, mas a coisa engrandeceu mesmo foi no quarto período para ajudar a equipa a recuperar 10 pontos.

 

 

É a segunda maior reviravolta na história do Super Bowl, só atrás da conseguida pelos New England Patriots (aí foram as mãos de Tom Brady) sobre os Atlanta Falcons em 2017, quando perdiam por 28-3 e no final foram buscar a taça.

Dizíamos nós que a coisa estava em 20-10 a pender para os 49ers no quarto período quando Mahomes arranjou maneira de meter dois passes incríveis e ajudar os Chiefs a marcar 21 pontos sem resposta (em quatro-minutos-e-57-segundos) para ficar com o troféu Vince Lombardi.

«We never lost faith. Everybody on this team, no one had their head down and we found a way to win in the end» Mahomes

Foi também o fim da angústia para Andy Reid. O treinador dos Chiefs que tem 61,8% de vitórias na temporada regular é o terceiro que mais ganhou na NFL (tem 195 vitórias na carreira). Mesmo assim, parecia traçado um destino sem títulos – até ontem.

Os San Francisco 49ers perderam a hipótese de se sagrarem campeão pela sexta vez e igualarem os Pittsburgh Steelers e os New England Patriots. Assim, o jejum da equipa californiana já chega aos 26 anos.

 

Intervalo

É sempre um dos momentos mais aguardados. O intervalo do Super Bowl tem sempre alguma na manga e desta vez foi terem juntado pela primeria vez no mesmo palco Shakira e Jennifer Lopez.

A colombiana fazia anos (43 anos) e rodeada por muitas dançarinas fez um medley frenético com trechos de She Wolf, Empire, Whenever, wherever, Chantaje, Ojos Asi e My Hips Don’t Lie.

J.Lo, de 50 anos, não ficou atrás com Waiting For Tonight e uma parceria com J Balvin em Mi Gente.

Foram 13 minutos eletrizantes e… bem pagos. Shakira e Jennifer Lopez receberam 13 milhões de dólares cada uma – fazendo as contas, um milhão por minuto em palco (palco esse que foi montado e desmontado em menos de dez minutos).

 

 

Trump engana-se no… Estado

Claro que teremos sempre Trump. O presidente dos EUA foi a correr para o Twitter (aqui bem) para dar os parabéns aos Chiefs. Só que os parabéns saíram errados (aqui mal).

O líder da Casa Branca escreveu a dar os parabéns ao estado do Kansas. O clube é de Kansas City, a cidade que fica no estado do Missouri.

Rápido a responder foi também a ex-senadora do Missouri Claire McCaskill. E não foi meiga para Donald.