Foi um fim-de-semana atípico.

A Juventus não foi finalmente campeã.

Ou melhor, o Inter foi campeão 11 anos depois e interrompeu uma série de 9 anos seguidos de campeonatos da Juventus.

O que quer dizer que é hora de celebrar.

Party now.

 

 

A Atalanta empatou com o Sassuolo 1-1 e o Inter, que tinha jogado na véspera, teve de sair de casa para fazer a festa.

 

Conte acabou com o que tinha começado

Antonio Conte sucedeu a Mourinho como campeão na equipa de Milão.

O mesmo Conte que iniciou o reinado dos 9 títulos da Juve (venceu os primeiros 3 títulos) encerrou-o agora.

Papa títulos.

 

 

Venceu tudo como jogador da Juventus

  • uma Liga dos Campeões
  • uma Taça UEFA
  • uma Taça Intercontinental
  • 4 Serie A
  • uma Taça
  • e 4 Supertaças

No início da carreira de treinador venceu a 2ª divisão com o Bari e ganhou o respeito para treinar a Velha Senhora.

Foi tricampeão de Itália e rumou à seleção italiana – no Euro 2016 foi eliminado nos quartos-d-efinal pela Alemanha nos penáltis.

Foi para o Chelsea e voltou a vencer:

  • uma Premier League
  • e uma Taça
    em dois anos

Fez um ano sabático e aceitou o convite do Inter.

Fez mais história.

E com isso alcançou o 19º scudetto da história, ultrapassando o rival Milan (18) tornando-se o 2º clube mais titulado de Itália (a Juve tem 36).

 

 

 

Adeptos invadem relvado

Estava tudo pronto para o clássico Man United-Liverpool.

E o City à espera – uma derrota do rival daria já o título aos citizens.

Mas eis que… nada feito.

Os adeptos do United invadiram o relvado de Old Trafford a duas horas do início do jogo com o Liverpool – para pedir demissão da família Glazer – e o encontro foi suspenso por razões de segurança.

 

 

Hamilton adora Portugal

Nada melhor que ter o maior piloto de todoso os tempos da F1 (sabemos que ainda está tacto a taco com Schumacher, mas os números pendem para o britânico) de queixo caído por Portugal.

Gosta tanto (e elogia tanto o país e o autódromo algarvio) que repetiu a vitória no GP do Algarve.

 

 

Hamilton saiu do segundo lugar – ainda passou para terceiro depois da entrada em pista do safety car – mas recuperou a liderança para nova vitória em Portugal.

Alcançou a 97ª vitória em GP (contra 91 de Schumacher, o segundo com mais triunfos).

E aumentou a vantagem no Mundial – fez 69 pontos contra 61 de Verstappen com 20 corridas ainda pela frente.

 

 

 

Espanha: todos ganham

A 4 jornadas do fim da La Liga todos venceram.

E ficaram todos encostados no topo:

  • 1º Atlético 76
  • 2º Real 74
  • 3º Barça 74
  • 4º Sevilha 70 (menos 1 jogo)

Primeiro foi o Atlético: jogou com o Elche fora e venceu pela margem mínima graças a um golo de Llorente na primeira parte.

Ufa!

 

 

Depois foi o Real.

Em casa só conseguiu desbloquear o caminho no final frente ao Osasuna.

E pode agradecer a dois ex-portsitas: Éder Militão e Casemiro.

 

 

À noite foi a vez do Barça.

Os catalães tinham o jogo mais difícil: foram a Valência e saíram de lá com a vitória 2-3.

Messi, com dois golos, concluiu a 12ª época a marcar 35 ou mais golos e foi crucial para o triunfo, apesar de ter falhado um penálti.

 

 

Os valencianos marcaram primeiro mas o argentino e Griezmann deram a volta.

Sábado há Barça-Atlético que pode decidir o título.

 

 

 

Viñolas venceu o Estoril Open

No ténis, o Estoril Open mostrou-nos um novo campeão.

Ou por outras palavras, Alberto Ramos-Viñolas tomou conta do Estoril.

O tenista espanhol venceu no domingo a final bateno o britânico Cameron Norrie em três sets: 4-6, 6-3 e 7-6 (7-3).

 

 

O catalão levou para casa o terceiro título ATP da carreira, depois das vitórias em Bastad, em 2016, e Gstaad, em 2019.

Lisboa já está e Barcelona já foi, agora temos Madrid.

Nadal quer repetir o título da semana passada em Barcelona e conquistar o sexto título da competição.

Deixamos aqui um cheirinho da final entre Nadal e Tsitsipas em Barcelona. Não vai perder o seu tempo.