Mesmo até à última.

Atlético de Madrid e Lille foram finalmente campeões.

Deixaram tudo para a derradeira jornada mas levaram a tarefa até ao fim.

 

O chapéu de Piázon (e a Taça no bolso)

 

Atlético chegou ao 11º

Em Espanha o Atlético esticou a corda: chegou a ter 11 pontos de vantagem e perdeu-os. Só que nem Real nem Barça aproveitaram a oferta.

E o Atlético agradeceu.

Assim, Simeone chegou à 34ª ronda com a hipótese de vencer e conquistar o título: o 11º da história, o primeiro desde 2014.

O título chegou com uma “remontada” na casa do Valladolid 1-2. Os colchoneros começaram a perder – mas Suárez valeu a aposta.

 

 

«Foi difícil viver essa situação, o menosprezo com que me trataram» Luis Suárez

O Real Madrid jogou ao mesmo tempo e precisava de uma escorregadela rojiblanca.

Venceu 2-1 o Villarreal mas de nada serviu.

 

 

 

Lilleeeeee

Em França a história foi igual.

Havia um habitual ganhador (o PSG vencera 7 nos últimos 8 anos) mas a foi o Lille a festejar.

A equipa de Galtier bateu fora o Angers 1-2 e conquistou o 4º título do CV (1945–46, 1953–54 e 2010–11).

Há ainda dois títulos a contabilizar se contarmos os anos de 1913-14 e 1932-33 obtidos sob o nome de Olympique Lillois.

 

 

«Suplantar o PSG é algo de excecional. Os jogadores foram os heróis. Eles é que mereceram este triunfo» Christophe Galtier, treinador do Lille

Com Luís Campos como diretor técnico entre 2017 e 2020 (foi ele que construiu o plantel), o Lille conta ainda com mais portugueses:

  • Tiago Djaló
  • Xeka
  • Renato
  • e o capitão José Fonte (não jogou o derradeiro jogo por castigo)

O PSG venceu fora o Brest 0-2, mas tal como o Real, de nada serviu o triunfo.

 

 

 

Ronaldo, o melhor marcador em 3 Ligas

A Juventus conseguiu mesmo à última (e graças ao Naṕoles) a entrada direta na Liga dos Campeões.

O triunfo em Bolonha (4-1) aliado ao empate em casa do Nápoles frente ao Hellas Verona (1-1) foi a combinação sonhada pela Juve.

Assim, a malta de Turim ficou em 4º e pode ter assegurado Ronaldo por mais um ano.

 

 

CR não jogou por cansaço mas garantiu o título de melhor marcador com 29 golos (mais 5 que Lukaku, do Inter).

Ronaldo é o primeiro a tornar-se o máximo goleador em 3 das 5 principais ligas.

Não houve Ronaldo no jogo mas houve Morata, que brilhou com um hat-trick.

«Falámos os dois (Pirlo e Ronaldo) e achámos que a melhor decisão passava por colocar alguém mais fresco no onze. Apostei no Morata e fui feliz. Se fosse preciso, o Ronaldo seria lançado na segunda parte» Pirlo

 

 

A vitória na casa da Atalanta (2-0) catapultou o Milan para o segundo lugar.

  • 1º Inter 91
  • 2º Milan 79
  • 3º Atalanta 78 
  • 4º Juventus 78 
  • 5º Nápoles 77
  • 6º Lazio 68
  • 7º Roma 62
    1º-4º Liga dos Campeões
    5º e 6º Liga Europa
    7º Conference League

 

 

Leicester de fora

Em Inglaterra a derrota em casa com o Tottenham 2-4 fez com que o Leicester ficasse de fora da Champions.

Os Foxes nem sequer aproveitaram a derrota do Chelsea com o Villa (2-1).

 

 

  • 1º Man CIty 86
  • 2º Man United 74
  • 3º Liverpool 69
  • 4º Chelsea 67
  • 5º Leicester 66
  • 6º West Ham 65
  • 7º Tottenham 62
    1º-4º Liga dos Campeões
    5º e 6º Liga Europa
    7º Playoff Conference League

 

 

A vitória do Tottenham tramou o rival de Londres – o Arsenal venceu 2-0 o Brighton mas ficou de fora da Europa.

Além disso, os Spurs consagraram Harry Kane como o melhor marcador da Premier League, com 23 golos, mais 1 do que Salah, e 5 que o terceiro melhor: Bruno Fernandes (18).