Anastasia Pavlyuchenkova e Barbora Krejcikova – uma delas sairá campeã de Paris.

A russa e a checa vão decidir o título de Roland Garros neste sábado.

Pavlyuchenkova bateu a eslovena Tamara Zidansek e Krejcikova venceu a grega Maria Sakkari.

 

Seis vezes nos quartos-de-final

A russa Pavlyuchenkova, 32ª do ranking, foi a primeira garantir a presença na final ao derrotar Zidansek 7/5 e 6/3.

Aos 29 anos, a russa consegue chegar ao encontro decisivo de um Grand Slam depois de ter ficado seis vezes nos quartos-de-final.

Está ininterruptamente no top-50 desde 2008 e venceu 12 títulos – nunca nenhum slam.

A expectativa de seguir as pisadas das compatriotas Maria Sharapova e Svetlana Kuznetsova nunca se concretizaram.

 

 

Primeira final de um slam em 50 tentativas

Pavlyuchenkova é a primeira tenista a chegar a uma final de um Grand Slam depois de 50 tentativas – foram 52 participações em majors ao longo da carreira.

Só a italiana Roberta Vinci, finalista do US Open em 2015 , se aproxima com 44 participações.

 

Jogo dramático de Krejcikova

Krejcikova precisou de um jogo dramático contra Sakkari para vencer por 7/5, 4/6 e 9/7.

A checa, 33ª do ranking, salvou um match point e chegou a comemorar a vitória antes da hora, numa bola duvidosa da adversária em que a tenista e o juiz de linha consideraram ter saído.

Mas o árbitro não. No quinto match point a seu favor conseguiu fechar o encontro depois ed 3 horas e 18 minutos.

 

 

Krejcikova entrou pela primeira vez no top-50 em março deste ano.

Antes da edição passada de Roland Garros, não entrava entre as 100 melhores do ranking mundial.

A história muda nas duplas: conquistou dois títulos do Grnd Slam (Roland Garros e Wimbledon) ao lado de Katerina Siniakova – e foi número 1, em 2018.

Depois de Garbiñe Muguruza, Jelena Ostapenko, Simona Halep, Ashleigh Barty e Iga Swiatek, chegou a hora de Paris conhecer a sua sexta campeã inédita consecutiva.