A vida são dois dias e Indian Wells são três.

Ups, se calhar a frase não funciona, até porque aquele que é conhecido como o quinto grand slam tem bem mais do que três dias: tem dez.

O que queríamos dizer é que não há como não celebrar o regresso de um dos mais icónicos ATP Masters 1000 do circuito.

 

 

Bem-vindos ao deserto

Vamos poder voltar e encontrar-nos com as imagens das palmeiras, das avenidas largas e das belas montanhas do Coachella Valley.

No fundo, o deserto, um dos sítios mais especiais do mundo para se jogar ténis.

O BNP Paribas Open não acontece desde 2019 devido à pandemia da COVID-19, portanto, a excitação é natural.

E motivos de interesse não faltam.

 

Afinal, Novak Djokovic é humano

 

Adivinha quem voltou?

No lado feminino, assinala-se o regresso de Kim Clijsters depois de dez anos sem passar por courts que a fizeram tão feliz quando venceu o torneio em 2003 e 2005.

Além da belga, temos quase todas as melhores tenistas do mundo presentes — se esquecermos Ash Barty, Serena Williams e Naomi Osaka.

 

 

As novas estrelas: Raducanu e Fernandez

Pliskova, Swiatek, Krejcikova, Sakkari, Svitolina, Bencic (que recuperou da lesão a tempo de estar pronta), Halep e, claro, as duas novas estrelas maiores do WTA: Emma Raducanu e Leylah Fernandez.

Se a britânica que venceu o US Open pode encontrar Simona Halep na terceira ronda, a canadiana finalista vencida do US Open pode ter Pavlyunchenkova a barrar-lhe o caminho.

 

Raducanu é nota 20 (não perdeu nenhum dos 20 sets até ao título)

 

O que é certo é que subiram tanto no ranking que já estão naquele lote de tenistas que estão isentas da primeira ronda — algo que lhes deve saber bem.

Vejamos como regressam aos courts, depois de um conto de fadas que foi o último major do ano.

 

Big Three ausente

No quadro masculino, também não faltam pratos que sobressaem do menu.

Desde logo a certeza de que teremos um novo campeão em virtude da ausência do Big Three e de Dominic Thiem, último campeão de Indian Wells, em 2019.

 

 

No entanto, há muita gente talentosa.

Daniil Medvedev e Stefanos Tsitsipas são os primeiros cabeças-de-série e grandes favoritos à conquista do torneio.

 

Zverev em forma

Embora, convém que se diga, Sasha Zverev esteja no melhor momento da carreira e, por isso, seja um sério candidato — nos últimos 18 encontros venceu 17, perdendo apenas para Novak Djokovic nas meias-finais do US Open.

 

 

E claro que gente como Andrey Rublev ou Matteo Berrettini são sempre possíveis vencedores, ainda que mais improváveis.

 

Corrida ao Nitto ATP Finals

A corrida para as Nitto ATP Finals segue a todo o gás, com Casper Ruud a chegar ao oitavo lugar depois de conquistar o seu quinto torneio ATP do ano em San Diego.

Hurkacz, Auger-Aliassime e Jannik Sinner — recente vencedor do ATP de Sófia — são os nomes seguintes da lista. Sangue e suor, é o que se espera.

 

 

Outro detalhe que sempre nos anima é a escalada da juventude.

 

Estreias de Alcaraz e Korda

Fazem a sua estreia na categoria de Masters 1000 os incríveis Carlos Alcaraz e Sebastian Korda.

E temos ainda no cartaz Jenson Brooksby, o endiabrado Holger Rune, tal como bem Zachary Svajda e Lorenzo Musetti.

A vida são dois dias e Indian Wells são dez, assim é que é.

O deserto que se prepare, que o ténis promete ser de alta qualidade.