Há algo a dizer sobre Francisco Trincão que nada tem a ver com o facto de estar a ser cobiçado por meio mundo, estando já no Barcelona: o empresário do jogador que na temporada transata andou a espalhar talento pelo Braga chama-se Bruno de Carvalho, segundo o Transfermarkt.

Se é relevante para este artigo? Não, mas não deixa de ser interessante que um nome tão conhecido da esfera do futebol português – em especial, do Sporting – seja também o do empresário de Trincão. Adiante.

O jovem avançado de 20 anos, natural de Viana do Castelo, é um produto directo da formação dos bracarenses e está a render muitos milhões aos cofres do clube liderado por António Salvador.

É certo que andou pelo Vianense, pelo FC Porto, que se estreou com 16 anos na segunda liga (Braga B) mas foi José Carvalho Araújo, o técnico que esteve pelos sub-13 e os sub-23 dos arsenalistas que potenciou o talento de Trincão.

«Ele não vai tremer no Barcelona»

A questão é que pode muito bem nem tremer, nem sequer a pisar o relvado de Camp Nou. Caso pise, não é de estranhar que não trema, porque parece já jogador feito: 40 jogos esta época, nove golos apontados.

É que o Leicester não o larga. O clube inglês começou nos 50 milhões, fez duas novas abordagens, mas Josep Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, continua a negar.

 

“Trincão não está à venda. Estes jogadores jovens não estão à venda. Estamos a criar uma nova geração para o futuro”, comentou, citado pelo jornal A Bola.

O que até se percebe, já que em janeiro o clube teve de pagar 31 milhões para o ter na próxima temporada.

Logo a seguir, Jorge Mendes (quem mais?) foi apresentar uma proposta pelo jogador de 45 milhões de euros, que o presidente também declinou.

Em Espanha, não páram de falar dele e há até quem já compare o internacional sub-21 a Luís Figo. Esperemos é que não faça o mesmo que o antigo internacional português, se não vai ser crucificado em solo espanhol.

O FC Porto é que deve estar bem arrependido de não o ter agarrado. E porque não terá ficado por lá?

“Ainda era muito novo, tinha apenas 9 anos. Era muito longe, muito complicado. Os meus pais acharam que era muito cedo para encarar o futebol já de uma forma tão profissional”, confessou em entrevista ao Transfermarkt.

 

Se Pinto da Costa ler este artigo, é capaz de chorar agora de arrependimento.

Veremos o que fará o campeão da Europa de sub-19 em 2018. Se prefere andar, lado a lado, com Lionel Messi, Antoine Griezmann (que já lhe mandou uma mensagem a congratulá-lo pela contratação) ou Luís Suárez, ou andar em terras da Rainha D. Isabel II. O primeiro é, pelo menos, um sonho de miúdo.