Já na noite de sábado dormir tinha-se tornado uma actividade dispensável e secundária.

Afinal, não é todos os dias que temos um jogo 7 de meia-final de Conferência Este entre Giannis Antetokounmpo e Kevin Durant, entre Khris Middleton e James Harden, entre os Brooklyn Nets e os Milwaukee Bucks.

Assim foi e de que maneira — os 48 pontos de Durant não foram suficientes para destronar os Bucks que com 40 pontos de Giannis Antetokounmpo precisaram de um prolongamento para carimbar o acesso à final.

 

 

Pelo caminho, a dois segundos do final do tempo regulamentar, Durant quis marcar um triplo que afinal foi apenas de dois pontos — o facto de calçar ténis de tamanho 55 não deve ter ajudado.

 

 

 

Adeus 76ers

Ontem à noite, outra noite onde se sentiu que dormir era sobrevalorizado, os Bucks ficaram a saber quem defrontam na final da Conferência Este.

Outro jogo 7, muito disputado, onde os underdogs Atlanta Hawks, quintos classificados na fase regular, destronaram os primeiros: Philadelphia 76rs.

 

 

Ainda que Embiid tenha feito 31 pontos e 11 ressaltos e que Tobias Harris tenha concluído 24 pontos e 14 ressaltos, uma equipa como os Sixers, claramente favorita, não pode tremer desta maneira, nem pode ter uma alegada “estrela” como Ben Simmons que num jogo desta importância faz 5 pontos, 8 ressaltos e 13 assistências.

Quase apetece dizer: obrigadinho.

 

Hawks sonham com o título de 1958

Os Hawks continuam a surpreender e chegam novamente à final de conferência, feito que tinham atingido em 2015 (foram atingidos forte e feito pelos Cleveland Cavaliers de Lebron James: 4-0) pela mão de Mike Budenholzer.

Treinador que agora estará do lado oposto do campo, ao leme dos Bucks, naquele que é um dos factores de curiosidade em relação a série que se avizinha e que arranca na madrugada de quarta-feira às 01h30.

Só por uma vez os Hawks conquistaram o título: 1958.

Ainda eram St. Louis Hawks e só uma década depois rumariam a Atlanta.

Agora, voltam a ter uma oportunidade de ouro, embora convenha entender que chegar aqui já é uma época de sonho para a turma de Trae Young e companhia.

O céu é, assim sendo, o limite do sonho.

Quanto aos Bucks: se não for agora, vai ser quando?

 

Suns vs Clippers

Ontem, a horas decentes (20h30), arrancou a final da Conferência Oeste, que junta Phoenix Suns e Los Angeles Clippers.

Os primeiros estão sem a sua figura maior, Chris Paul, afastado dos dois primeiros jogos por infecção à Covid-19.

Os segundos estão sem Kawhi Leonard, e não há uma data de regresso definida, pelo que o melhor é nem pensar muito nisso, até porque foi sem Kawhi e com um enorme Paul George, que os Clippers eliminaram os Utah Jazz.

 

 

O problema é que ontem, dia de aproveitar a ausência de Chris Paul para inaugurar o marcador e logo na casa dos Suns, em Phoenix, Arizona, os Clippers não conseguiram lidar com Devin Booker, que somou 40 pontos e que deitou por terra as perspectivas forasteiras.

Apetece dizer que se os Suns fazem o 2-0 e CP3 regressa para o jogo 3, em Los Angeles, sobretudo se Kawhi Leonard não conseguir voltar, cheira a 4-0.

O melhor é não especularmos e esperarmos pelo jogo 2: terça-feira às 02h00.