Foi uma noite inesquecível para Giannis Antetokounmpo.

Ganhou o prémio de MVP deste ano na NBA, ultrapassando a concorrência de James Harden e Paul George de forma destacada.

Apesar da temporada brilhante do Greek Freak não ter sido coroada com o campeonato, este prémio foi muito merecido por todo o domínio demonstrado ao longo da época, somando exibições de alto nível jogo após jogo.

O basquetebol europeu está também de parabéns, já que esta foi somente a segunda vez que um jogador europeu venceu o galardão – apenas Dirk Nowitzki tinha ganho em 2007.

Já a caminhada de Giannis até ao topo da NBA não foi nada fácil.

 

 

No início deste ano a estação televisiva norte-americana TNT fez uma reportagem sobre o percurso de Giannis Antetokounmpo desde os tempos em que jogava nas ruas do bairro de Sepólia, na Grécia, e percorria uma distância de cerca de 8km até ao ginásio do Filathlitikos.

 

 

De descendência nigeriana e nascido na Grécia, durante 18 anos foi apátrida devido às leis da nacionalidade grega e dado às suas origens foi sempre considerado um estrangeiro dentro do seu próprio país, onde era alvo de racismo, à semelhança do que acontece com grande parte das comunidades africanas neste país.

Assumidamente um homem de família, Giannis sempre desejou ter os seus pais e quatro irmãos perto de si.

Antes de ser draftado para os Bucks com a 15ª escolha e deixar a Grécia, sempre exigiu que todos eles o acompanhassem no trajeto pela NBA, algo que foi sendo constantemente adiado face aos problemas dos país em obterem o visto.

A história de Giannis é epopeia perfeita do miúdo de que nasce do nada, com poucas oportunidades, mas que graças ao seu talento indiscutível e perseverança conseguiu ultrapassar as dificuldades de residir num país estrangeiro com apenas 18 anos e não ter consigo toda a sua estrutura familiar.

E caso não fosse permitida a entrada dos seus pais nos Estados Unidos Giannis estava decido a voltar para casa.

«Back here, we were trying to apply for American visas. We were stressed because the law said if you were declined three times, it’s done. It was declined once. Second time, again declined. And then he started calling me, ‘Giorgis, if that’s going to happen a third time and they cannot come, I am leaving’» Giorgos Panou, agente de Giannis na Grécia

Felizmente, conseguiram a obtenção do visto e o agora apelidado “The Greek Freak” viu o seu jogo melhorar exponencialmente.

O salto deu-se no terceiro ano quando conseguiu começar a impor uma maior consistência no seu jogo, somando médias de 16.9 pontos, 7.7 ressaltos, 4.3 assistências, 1.4 desarmes de lançamento e 1.2 roubos de bola. Tornou-se inclusive o jogador mais novo dos Bucks a somar um triplo duplo.

A partir daí foi sempre a subir.

Giannis em 2016-17
22.9 pontos
1.9 desarmes de lançamento
1.6 roubos de bola
5.4 assistências
8.7 ressaltos

Giannis em 2017-18
26.9 pontos
1.4 desarmes de lançamento
1.5 roubos de bola
4.8 assistências
10.0 ressaltos

Este ano elevou ainda mais a fasquia e liderou os Bucks até às finais de conferência, fase que já não chegavam desde 2001.

 

Bucks reescrevem a história 18 anos depois

 

O seu maior desejo era ser campeão da NBA e por muito que lhe tenha custado ainda não foi este o ano.

Apesar dos Bucks terem prometido muito – foram a melhor equipa na fase regular com um registo de 60 vitórias e 22 derrotas -, nas finais de conferência acabaram por ser eliminados por aqueles que viriam a ser os campeões deste ano, os Toronto Raptors.

Não conseguiu ser campeão mas o domínio que demonstrou ao longo de toda a temporada foi mais que suficiente para ser o MVP de 2019, superando a concorrência de James Harden (2º lugar) e Paul George (3º).

Giannis em 2018-19
27.7 pontos
1.5 desarmes de lançamento
1.3 roubos de bola
5.9 assistências
12.5 ressaltos

Na entrega do prémio de MVP, o discurso emocionante de Giannis não podia deixar de incluir todos aqueles que o ajudaram no percurso desde que pisou os palcos da NBA.

Toda a sua família, especialmente ao seu pai, falecido em 2017, treinadores, diretores e ao seu agente Alex Saratsis.

 

 

Dos restantes premiados da edição 2019 dos NBA Awards, destaque para o rookie do ano Luka Doncic; Paskal Siakam como o jogador que mais evoluiu; Rudy Gobert o melhor jogador defensivo; e o treinador do ano Mike Budenholzer.