Três jogos depois, as dúvidas quanto ao futuro campeão da NBA estão na mesma.

E quem quiser arriscar saiba que pode ser preso por especulação e não é essa afinal a melhor final?

Entretanto, os senhores da opinião fazem previsões do futuro, amanhã mais frio, no fim-de-semana chuva, enfim, o habitual, sobretudo depois da coisa ter arrancado com um 2-0 para os Phoenix Suns.

 

 

Mas convém explicar que o 1-0 foi com um Giannis Antetokounmpo ainda a caminho da melhor forma, o 2-0 já encontrou um super Greek Freak, a marcar acima dos 40 pontos, que bateu de frente num Chris Paul perfeito, que provavelmente estagiou em barricas de carvalho.

 

 

Mas já aí dava a ideia que a equipa de Monty Williams teria problemas no encaixe defensivo a Giannis.

DeAndre Ayton é demasiado grande para o grego, ou por outra, não é o tamanho é a lentidão que o tamanho provoca.

Jae Crowder tem feito o possível, por vezes alternando com Cam Johnson, mas a verdade é que com este Giannis ninguém teria uma tarefa facilitada, pelo que o 2-1 foi algo natural, com o MVP a marcar novamente na casa dos 40 pontos.

 

 

O jogo 3 é sintomático também por outras razões.

Chris Paul só fez 19 pontos, o que nem está longe da sua média, mas que tendo em conta os últimos jogos não deixa de ter um sabor estranho na boca, e Devin Booker, fez uns miseráveis 10 pontos.

Ora, é claro que as estrelas também são humanas, mas fazer 10 pontos, o que significa 3 lançamentos de campo convertidos em 14 tentativas é demasiado mau, não pode acontecer numa final da NBA onde os Suns partiram claramente em vantagem e onde a mesa parece começar a virar.

 

 

 

A pergunta é: alguém consegue parar este Giannis?

Provavelmente, não.

Então Devin Booker não pode fazer um jogo com 10 pontos.

Se parar Giannis por vezes parece impossível então o segredo tem de ser os Suns terem as suas estrelas ao mais alto nível.

 

 

Jrue Holiday e Khris Middleton têm estado algo intermitentes do lado dos Bucks, mas no jogo 3 o primeiro fez 21 pontos e o segundo 18, se a isto somarmos mais 41 de Giannis estamos a falar de 70 pontos, num jogo em que Milwaukee terminaria com 120.

São alertas de vários tipos que parecem querer dizer aos Suns que mais vale acordar agora do que ver os Bucks empatarem a série a 2-2 e regressar a Phoenix para voltar a ganhar fé na conquista do anel.

 

Este Dream Team é um pesadelo