Paul George brilhou e foi rei no primeiro jogo em L.A depois da lesão. Já os Clippers acabaram com a mini crise e somaram a maior vitória de sempre na história do franchise.

150-101. Foi um completo atropelamento que os Clippers impuseram aos Atalanta Hawks em L.A.

A vitória por 49 pontos de diferença é já a maior de sempre na história dos Clippers e o segundo jogo com mais pontos na história do franchise, apenas atrás dos 152 somados contra os Raptors em 1997/98.

Já o primeiro jogo de PG-13 em L.A, depois da lesão, dificilmente podia ter corrido melhor com 37 pontos, 2 roubos de bola, 1 desarme de lançamento, 4 ressaltos e 3 assistências.

Kawhi ficou de fora pelo 4º jogo consecutivo e ainda não foi desta que o vimos em ação com Paul George. Está para breve!

Hoje 01h05
NBA
Golden State Warriors vs Memphis Grizzles
1,27 – 3,05

Se pensam que a fase inicial destes Clippers tem defraudado as expectativas esperem só até estes conseguirem ter o arsenal todo à disposição.

Paul George esteve lesionado e só voltou há 2 jogos; Kawhi ora está em gestão de esforço, ora lesionado; Patrick Beverly também esteve lesionado e não se conseguiu juntar a Paul George no último jogo.

Assim que a equipa orientada por Doc Rivers conseguir ter à disposição todas as suas armas, é impossível não considerar os Clippers como um dos principais favoritos ao título.

 

O verão louco que mudou (para sempre?) a NBA

 

Não só o elenco é muito forte individualmente, como as principais caras da equipa – com Kawhi Leonard e Paul George à cabeça – tanto oferecem alternativas ofensivas como são dos melhores na liga a nível defensivo.

Tem tudo para sair daqui o novo campeão da NBA.

Conferência Oeste
1.º LA Lakers 11-2
2.º Houston Rockets 10-3
3.º Denver Nuggets 9-3
4.º Utah Jazz 8-4
5.º Phoenix Suns 7-4
6.º LA Clippers 8-5
7.º Dallas Mavericks 7-5
8.º Minnesota Timberwolves 7-6

Até agora as atenções na conferência oeste têm ido todas para a outra equipa de Los Angeles, os Lakers de Lebron James, que ainda só perderam dois jogos.

No caso dos Clippers, tem-se visto que sem Kawhi a equipa não funciona da mesma forma, contrariamente ao que acontecia quando este estava em Toronto.

Agora que Paul George está de volta a confiança parece ter voltado à outra metade do Staples Center.

Logo no primeiro jogo depois da lesão, frente aos Pelicans, a exibição foi qualquer coisa de especial, ao conseguir somar 33 pontos, 9 ressaltos e 4 assistências. George desvalorizou a prestação e chegou mesmo a dizer que tinha sido terrível. Compreensível, já que os Clippers ressentiram-se da ausência de Kawhi e perderam esse jogo, aumentando para 2 a série de jogos consecutivos a perder.

Na última prestação frente aos Hawks, poucas dúvidas restaram quanto à sua prestação.

 

 

 

 

No total foram 37 pontos, 2 roubos de bola, 1 desarme de lançamento, 4 ressaltos e 3 assistências. Os 37 pontos em menos de 21 minutos de jogo são já um recorde na NBA!

A noite não só foi impressionante para Paul George, que presenteou os adeptos da sua nova casa com uma exibição de encher o olho, como os próprios Clippers também tiveram mais do que razões para saírem felizes do Staples Center.

Os 150-101 contra os Hawks foram dignos de registo não só para os Clippers, que conseguiram a maior vitória da história do franchise (49 pontos de diferença) e o segundo jogo com mais pontos, como também para os Hawks pelos piores motivos.

 

 

Para a equipa de Atalanta só os 133-75 na longínqua época de 1955-56 conseguiram ser piores que isto.

Se a jovem equipa destes Hawks, liderada por Trae Young, prometeu muito nos primeiros jogos, a verdade é que nesta altura parecem ser demasiado verdinhos para competirem com os melhores – nos últimos 7 jogos apenas têm 1 vitória.

O pesadelo em L.A continuou no dia seguinte, frente aos Lakers, com uma derrota por 122-101. Aí o protagonista não poderia ter sido outro senão King James (33 pontos, 7 ressaltos, 12 assistências).

Com esta vitória os Clippers aproveitam e ganham agora embalo para os próximos jogos, onde se espera que estejam a todo o gás.

Para já será contra a equipa de Oklahoma que está num mau momento. No jogo seguinte o teste será mais difícil, contra os Celtics, e aí sim, veremos se estes Clippers – com as estrelas todas – têm mesmo tudo para serem os próximos campeões.