A Corte Real Francesa já viveu melhores dias.

Os banquetes já tiveram melhor ambiente, os corredores menos conversas, os jardins menos segredos.

E não, não falamos de Luís XIV, nem dos tempos idos em Versalhes, nem das perucas fartas, até porque, entretanto, o mundo mudou.

PSG 1,07 vs Nimes 13,00
Quarta-feira 3 fevereiro 20h00

 

Estamos em Paris, o palácio foi substituído pelo campo de futebol e Luís XIV foi substituído por Nasser Al-Khelaifi.

Esta introdução pomposa só para dizer que o PSG, para quem o título de campeão francês é praticamente um passeio desde 2012/13, é neste momento terceiro classificado da Ligue 1 e já viu a coisa mais famosa.

Dijon 7,50 vs Lyon 1,28
Quarta-feira 3 fevereiro 20h00

 

O último deslize deu-se na ronda anterior (22ª Jornada) diante do Lorient, por 3-2, depois de ter começado a perder, conseguido dar a volta e acabar a ser derrotado.

Encontra-se então no terceiro posto, a um ponto do segundo classificado que é o Lyon e a três do líder, o Lille — diga-se ainda que tem o Mónaco, em quarto, a apenas três pontos de distância.

 

 

Diga-se que, à 17ª jornada, última em que o alemão Thomas Tuchel esteve à frente da equipa, o PSG estava na mesma posição, mas apenas um ponto da liderança bipartida de Lyon e Lille.

E não deixará de ser estranha, provavelmente inédito, que Tuchel tenha sido despedido depois de ganhar 4-0 ao Estrasburgo.

Bordéus 3,75 vs Lille 2,00
Quarta-feira 3 fevereiro 18h00

 

Falamos de um treinador que levou o PSG à final da última edição da Liga dos Campeões, diante do Bayern, de onde até podia ter saído vencedor.

Convém que fique claro: o PSG nunca tinha chegado tão longe na Champions.

E agora, os seus brilhantes dirigentes — onde se inclui um sheik que é também um dos homens mais ricos do mundo e Leonardo Nascimento Araújo (que além do título mundial obtido pelo Brasil em 1994 não deve ter feito mais nada de jeito no mundo do futebol; pensemos nas passagens enquanto treinador no Milan ou Inter).

 

 

Entretanto, Thomas Tuchel, novo treinador do Chelsea, já vence jogos com a equipa londrina até então treinada por Frank Lampard.

É certo que além do empate com o Saint-Étienne no primeiro jogo e da derrota sofrida agora com o Lorient, Maurício Pochettino, treinador contratado para o lugar de Tuchel, só conhecia o sabor da vitória, conquistando até uma Supertaça pelo caminho, ao Marselha.

Nada contra o argentino, mas não deixa de ser estranho que a equipa esteja pior agora do que estava antes da sua chegada e não deixa de ser estranho que Leonardo e companhia tivessem achado que o campeonato francês estava em risco.

 

 

O PSG, com maior ou menor dificuldade, acabava sempre por superar as dificuldades. Visto assim, será esta troca de treinadores a salvadora da pátria?

Hoje recebem o modesto e lanterna-vermelha Nimes, enquanto que o Lyon se desloca ao terreno do penúltimo classificado, o Dijon.

O líder Lille, onde jogam os portugueses José Fonte, Xeka, Renato Sanches e Tiago Djaló tem o jogo mais complicado da jornada, com a deslocação a Bordéus. Vejamos o que daí vem.