Há noites assim. Esta foi uma delas (assim) e não se esquece tão cedo.

Certo, adeptos do Hoffenheim?

Expliquemos.

O Hoffenheim tinha tudo para ser feliz – e em contrapartida o Molde tinha tudo para não ser feliz.

Os alemães empataram fora 3-3 e tinham a coisa bem encaminhada.

Era só controlar o jogo da segunda mão em casa e traz, teriam os oitavos-de-final no bolso.

Só que não. E o 0-2 provou isso mesmo.

 

 

O Hoffenheim foi melhor em todos os capitulos (como dá para ver).

Chegou a ser avassaldor.

E a treta do 11 contra 11 e nos final ganham os alemães também já era ò Lineker.

 

Ulland-Petersen

Não foi por falta de aviso do Molde.

Os noruegueses já tinham feito o mesmo no primeiro jogo – recuperaram de uma desvantagem de dois golos para empatar 3-3.

Agora fez o mesmo, com mais frieza nórdica.

Marcou nas duas vezes que rematou à baliza de Baumann: ambas por Ulland-Petersen

  • aos 20
  • e aos 90+5

Claro que a exibição do guarda-redes Andreas Linde tamnbém ajudou.

 

 

Com isto, o Molde vai estar pela primeira vez na nos oitavos da prova.

Para a história ficam os números do Hoffenheim, que terminou a partida com mais 27 remates (contra 3) e 72% de posse de bola.