Apuramento difícil, mas possível.

Jorge Simão e Daniel Ramos estão unidos por duas coisas: estarem a um passo de se apurarem para a fase de grupos da Liga Conferência Europa e não estarem habituados a estas andanças.

Depois das saborosas vitórias diante do Tottenham e do Partizan, os dois técnicos queixaram-se das condições em que foram para a terceira jornada da liga portuguesa. Aliás, o técnico do Santa Clara disse mesmo que a derrota contra o Boavista foi o jogo mais difícil de preparar na sua longa carreira de 20 anos.

Mas quem quer estar lá em cima, tem de se habituar. Ainda assim, olhemos para o que pode acontecer esta quinta-feira.

A vitória por 1-0 dos castores diante dos spurs surpreendeu um total de milhões de pessoas. Tanto que o Tottenham foi muito gozado nas redes sociais e ouve até antigos jogadores (Jamie O’Hara) com um finíssimo sentido de humor, a apelidar os portugueses de “Ferrero Rocher”.

 

 

Pois bem, só que o chocolate foi tão grande que os ingleses agora não devem estar para brincadeiras.

Vêm de uma vitória por 1-0 contra o Wolves mas Nuno Espírito Santo até pode voltar a meter suplentes em campo no onze inicial. A humilhação foi grande na capital do Móvel, mas o interesse por esta competição para um finalista da Champions deve estar a um nível muito baixo.

Não vale a pena avisar o Paços para os perigos, basta falar num nome: Harry Kane.

Do lado português há Stephen Eustáquio, que anda a ser muito cobiçado. E claro, Lucas Silva, que fez o gosto ao pé contra os londrinos.

 

 

Quanto aos açorianos, primeiro disseram adeus a Carlos Júnior para as arábias, um dos melhores elementos deste plantel. Depois, andam muito desfalcados por causa da Covid-19. A vitória diante do Partizan foi tangencial (2-1) mas pode bastar para passar à fase de grupos. Estamos a falar de um dos maiores clubes de Belgrado e fundado quando ainda cheirava a guerra lá para os lados da Jugoslávia. E a verdade é que vêm de uma vitória por 4-0.

De um lado, um Paços que quer repetir a época 2013/2014 em que chegou à fase de grupos da Liga Europa. Agora, a prova tem outro nome, mas cheira a milhões, logo, é preciso entrar. Nessa altura nunca ganharam um jogo…

Quanto ao Santa Clara, esta é a primeira grande aventura europeia. Vai voltar a encontrar jogadores que já passaram por Portugal (Vladimir Stojkovic ou Markovic) mas não pode ter medo.

Antunes disse, à saída do aeroporto, que a pressão estava do lado dos ingleses. Não. Se as equipas portuguesas de meio da tabela querem crescer, têm de ter mais pressão. Não chega sonhar. Quanto a descansar, só nas férias.