Real no topo e um Atlético em crise. Nada poderia distanciar mais os dois clubes de Madrid à entrada para o dérbi de todas as emoções em Espanha.

 

 

Sem Félix, sem Diego Costa, sem José Maria Giménez, sem Santiago Arias e provavelmente sem Trippier e Koke. Enfim, um sem número de baixas que deixam a equipa de Diego Simeone completamente à deriva para o dérbi.

A época tem sido paupérrima muito à custa das lesões e da falta de profundidade no plantel, mesmo com o investimento avassalador no mercado, alavancado pela transferência de João Félix.

Por estas e mais um sem número de razões que têm definido a época negativa dos colchoneros esta época, a deslocação ao Santiago Bernabéu nunca foi tão pouco animadora como agora. Felizmente para Simeone, Carrasco está de volta e poderá ser a arma secreta para este jogo.

Por outro lado encontram uma turma de Zinédine Zidane confiante, com um historial recente de invencibilidade (7 jogos seguidos sempre a ganhar) e a praticar bom futebol como há muito não o faziam.

O primeiro posto da tabela, com mais 3 pontos que o Barcelona e mais 10 que o Atlético, é para já a recompensa pelo trabalho e sacrifício do técnico francês, naquela que é a sua segunda passagem pelos merengues – tudo menos facilitada até ao momento.

1 Fevereiro 15h00
La Liga
Real Madrid vs Atlético Madrid
1,80 – 3,40 – 4,25

São 10 pontos que separam as duas equipas.

10 pontos e 4 lugares de distância na tabela classificativa.

Há muito tempo que um Dérbi de Madrid não apresentava os rivais tão distantes, pelo menos desde que Diego Simeone assumiu o cargo em 2011. De lá para cá as duas equipas de Madrid colaram-se uma à outra na Liga e partilharam até duas finais de Liga dos Campeões pelo caminho.

Uma realidade muito distante daquilo a que hoje assistimos.

 

https://twitter.com/Atleti/status/1223228594446532608

 

Esta seria a época em que os veteranos passariam o testemunho aos mais novos. Seria o ano da revolução no plantel dos colchoneros – o que se confirmou -, e o ano em que o futebol implementado por Simeone teria necessariamente que mudar – o que não se confirmou.

O estilo de jogo de cholo continua o mesmo, igual a si próprio, mas sem o que as suas grandes equipas sempre foram conseguindo obter – os resultados.

La Liga
1.º Real Madrid 46
2.º Barcelona 43
3.º Sevilha 38
4.º Getafe 36
5.º Atlético Madrid 36
6.º Real Sociedad

As desilusões têm sido muitas esta época. Não bastasse as dificuldades em obterem golos e vitórias no campeonato mesmo frente a adversários substancialmente mais fracos, como o panorama negativo se tem estendido a outras competições.

La Liga
21 jogos
9 empates
3 derrotas

Taça do Rei
2-1 vs Cultural Leonesa (3ª divisão) – Eliminados

Nos oitavos de final da Liga dos Campeões enfrentam os campeões em título Liverpool e escusado será dizer que não se perspectiva nada de bom para os lados do Atlético.

Para o dérbi que se avizinha irão procurar a vingança da Supertaça perdida no início do mês de Janeiro na Arábia Saudita – a maior desilusão da época até ao momento.

 

 

A derrota muito penalizadora nos penálties após o empate a zeros, fez o Atlético fraquejar e perder toda a confiança para os jogos seguintes. Seguiu-se uma derrota forasteira frente ao Eibar por 2-0 e a eliminação da Taça do Rei.

Um registo de 3 derrotas consecutivas deixam o Atlético à deriva e com a obrigação de conseguirem algo deste dérbi se ainda quiserem sonhar com algo mais no campeonato.

Do lado de Simeone está o registo imbatível no Santiago Bernabéu – seis temporadas e zero derrotas em casa dos merengues.

 

 

Para o Real Madrid o cenário não podia ser melhor.

Zidane voltou a pôr a equipa a jogar bom futebol e mesmo sem jogadores como Hazard e Bale num plano elevado, os resultados têm aparecido. Muito graças aos pés dos jovens brasileiros Rodrygo e Vinicius Junior de onde têm saído maravilhas. Em comunhão, claro está, com o habitual Benzema sempre em forma.

São já 7 vitórias consecutivas e mais 3 pontos que o rival mais próximo, o Barcelona. Para este jogo irão beneficiar do factor casa e entrarão com tudo e à procura de uma escorregadela dos catalães frente ao Levante.

O domínio tem sido absoluto. O último resultado que não a vitória foi em Dezembro, no empate frente ao Atlético Bilbau, e para o campeonato perderam apenas 1 vez em 21 jogos, frente ao Maiorca em Outubro. Já não perdem qualquer jogo há 20 jogos.

As cartas estão dadas e o favorito é claro como a água. Mas já se sabe que em dia de dérbi tudo pode acontecer. Resta saber se este Atlético paupérrimo de Simeone tem capacidades para fazer acontecer e continuar a série de 6 temporadas seguidas sem perder no Bernabéu.