Santiago Solari foi o único terráqueo nos anos dos galácticos do Real Madrid.

Lembra-se daquele início do século? Tudo começou no primeiro mandato de Florentino Pérez quando foi buscar Luís Figo ao Barcelona:

2000 Figo
2001 Zidane
2002 Ronaldo
2003 Beckham

Seguiram-se sem Robinho, Raúl, Casillas, Owen, Roberto Carlos, Sergio Ramos. Nada mau, hein?!?

 

 

No meio destas estrelas todas havia Solari, que por ali cindarou entre 2000 e 2005 (depois foi para o Inter, San Lorenzo, Atlante e Peñarol).

 

 

O agentino de 42 anos é agora o novo treinador do Real, depois de um interinato de 4 jogos (só vitórias) – o melhor arranque do clube em 116 anos.

 

 

O lugar deixado por Zidane não é fácil de imitar – entrou na mesma situação de Solari, ambos vindos da equipa B, só que o francês conquistou 3 Ligas dos Campeões consecutivas, inédito na era moderna.

Como é que Solari chegou aqui?

Well, Pérez levou cinco negas antes de chegar ao nome de Lopetegui, o sexto na sua lista:

Mauricio Pochettino (Tottenham) – No
Maximiliano Allegri (Juventus) – No
Jürgen Klopp (Liverpool) – Nein
Antonio Conte (Chelsea) – No
Julian Nagelsmann (Hoffenheim) – Nein

A aventura de Lopetegui – Sí – em Madrid durou 14 jogos:
6 vitórias
2 empates
6 derrotas

“Existe uma desproporção entre a qualidade do plantel, que conta com oito jogadores nomeados à próxima Bola de Ouro, algo semprecedentes na história do clube, e os resultados obtidos até agora”, justificava o clube no adeus a Lopetegui.

No Real Madrid Castilla (o Real Madrid B lá do sítio), o registo de Solari já não é 100% vitorioso: cai para uns 37,21% de aproveitamento em 86 jogos

32 vitórias
29 empates
25 derrotas