Um chama-se Ernesto Valverde, é um treinador de 55 anos e estava à frente da Liga espanhola até ser despedido pelo Barcelona.

O outro chama-se Fede Valverde, é um futebolista de 21 anos e foi expulso na final da Supertaça contra o Atlético renovando (por causa disso, perguntamos nós?) o contrato com o Real com uma clásula de 500 milhões.

O que se passou?

No caso de Ernesto foi a paciência (a falta dela, dizemos nós). Apesar dos muitos títulos como jogador e treinador

  • Taça das Taças (1989) e Copa do Rey (1990) enquanto futebolista
  • e duas Ligas Espanholas (2018 e 2019), uma Copa do Rey (2018) e uma Supertaça de Espanha (2018) como técnico

não foi suficiente.

Rua. Chegou Quique Setién para o seu lugar e disse:

«Ayer estaba paseando junto a las vacas en mi pueblo y ahora estoy entrenando a los mejores jugadores del mundo»

Confirmamos. Estava no desemprego desde que em maio deixou o Betis. Atrás de si deixou uma aura de treinador que gosta de jogar bonito e é uma espécie de filósofo da bola.

Para trás Ernesto deixou também 4 recordes históricos:

  • Ajudou o Liverpool numa das melhores reviravoltas da história (lembram-se daqueles quartos de final da Champions em Anfield depois de vencer 3-0 em Camp Nou?)
  • Ajudou a Roma numa das melhores reviravoltas da história (lembram-se daquela meia final da Champions na capital italiana depois de vencer 4-1 em Camp Nou?)
  • Perdeu a final da Copa com o Valência
  • Perdeu a meia final da Supertaça espanhola para o Atlético

 

Sábado 15h00
La Liga
Real Madrid vs Sevilha
1,57 – 4,15 – 4,85

E no caso de Fede?

Bastou uma das faltas mais feias que pode haver no futebol para ver a sua cotação subir em flecha.

Toda a gente viu aquilo: Morata isolou-se mesmo a acabar o prolongamento e Fede não pensou duas vezes para lhe varrer as pernas. Foi expulso e… aplaudido por todos. Sim, saiu como o salvador da coisa.

E no final dos penaltis, a vitória do Real deu-lhe razão. Renovou contrato, fez esquecer a compra de Pogba e está blindado com uma super cláusula.