Não haverá nunca um calcanhar como o de Madjer (tudo, a calma, souplesse e claro foi executado numa final da Taça dos Campeões). Esqueçam lá o do Xandão (foi na Liga Europa e valeu ao Sporting a pessagem às meias-finais).

Se o calcanhar do argelino valeu uma Taça dos Campeões (Juary foi só confirmar a coisa), agora temos o de Benzema, que bem pode valer o título da La Liga.

 

 

Tem todo o ar de artista (e é) e deixa o Real Madrid com a mão no título. O triunfo 0-1 em casa do Espanyol – depois de o Barcelona ter empatado 2-2 com o Celta de Vigo – deixou os merengues com mais 2 pontos de vantagem 71-69.

Faltam 6 jornadas para o final e o Real parece ter isto bem controlado:

vs Getafe (casa)
vs Athletic Bilbau (fora)
vs Alavés (casa)
vs Granada (fora)
vs Villarreal (casa)
vs Leganés (fora)

Não parece muito complicado, ao contrário do calendário do Barça:

vs Atleido de Madrid (fora)
vs Villarreal (casa)
vs Espanyol (fora)
vs Valladolid (casa)
vs Osasuna (fora)
vs Alavés (casa)

Portanto, aquela obra de arte que Benzema fez pode ter decidido o campeonato de uma vez por todas.

«A assistência foi boa mas o Casemiro também marcou bem. Para mim isto é futebol, é como um puf e saem as coisas. É assim que vejo o futebol. Não tinha visto a entrada do Casemiro mas sabia que estava nas minhas costas» Benzema no final do jogo

E o título que parecia estar entregue ao Barcelona… Antes de a prova ter sido interrompida devido à pandemia, os catalães eram líderes e cheios de saúde.

À jornada 25, antes de irem a Madrid jogar o clássico, o Barça tinha uma vantagem de 2 pontos (55-53). E a derrota no Barnabéu (2-0) nem parece ter afetado muito os blaugrana – já que o Real perderia o jogo na jornada seguinte com o Bétis (2-1).

Só que 2 empates em 5 jogos – contra 5 vitórias seguidas dos merengues – deitaram tudo a perder.

 

https://twitter.com/brfootball/status/1277346966536675336?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1277346966536675336%7Ctwgr%5E&ref_url=https%3A%2F%2Fobservador.pt%2F2020%2F06%2F28%2Fo-futebol-e-assim-um-puf-e-saem-as-coisas-como-o-calcanhar-de-deus-de-benzema-aproximou-o-real-do-titulo%2F

 

Guti antes de Benzema

Isto do calcanhar de Benzema lembra aquele de Guti há dez anos – em 2010, o espanhol fez uma das melhores assistências da época e deixou o francês marcar fácil.

 

 

Só que no final dessa época 2009-2010 quem festejou o título foi o Barcelona, apesar desse gesto incrível de Guti.

O Real de Pellegrini fez uma recta final espectacular: 18 vitórias e apenas uma derrota em 19 jogos – só que essa derrota foi em casa com o Barça (0-2 com golos de Messi e Pedro) e foi o suficiente para deixar fugir o campeonato.

Mesmo assim Guti não se esqueceu.

 

 

Uma década depois foi a vez de Benzema retribuir o favor e assistiu Casemiro. E tem tudo para inverter a história de há dez anos. Será?

 

Calcanhares há muitos

Claro que não é só Madjer e Xandão (se é que podemos colocar os dois à mesma altura). Há muitos mais incríveis que ficaram na história.

Assim de repente:

  • temos o de Ronaldo (como podia faltar?) frente ao Vallecas
  • aquele todo no ar de Cruijff contra o Atlético
  • o de Ibrahimovic por trás do advesário
  • ou de Douglas em Chaves

Chega de calcanhares?