Ao 30º confronto com Espanha, Portugal alcançou a terceira vitória.

O triunfo anterior com os espanhóis já tinha sido épico – na final do Europeu há dois anos.

Agora pode ser histórico: valeu a passagem às meias-finais do Mundial, com um trunfo por 4-2 no prolongamento.

 

 

A perder e com 5 faltas

Portugal chegou rapidamente às 5 faltas no segundo tempo e com uma desvantagem de dois golos só o mais optimista tinha razões para sorrir.

No lado de Espanha era só sorrisos. Princpalmente depois de fazer dois golos num minuto: assinados por Adolfo Fernández e Adri Martínez.

Martínez era só sorrisos.

Mas as coisas iriam inverter-se.

 

Portugal, e que tal umas meias?

 

Emoção até ao fim

Portugal empatou 2-2 e leovu o jogo a prolongamento.

Primeiro o golo de André Coelho (31) colocou em snetudo os espnhóis e deu ânimo aos portugueses.

Zicky (36) empatou e deiou Portugal com mais fòlego.

No tempo-extra Portugal contou com um autogolo pefeito de Jose Raya – a fazer um chapéu com as medidas certas (43).

Pany Varela matou o jogo rematando para uma baliza deserta.

Agora segue-se o Cazaquistão na quinta-feira.