Decisivo. É o que se pode dizer do primeiro dérbi da época.

Poderá não o ser nas contas do Sporting, mas garantidamente que será nas do seu rival Benfica.

 

Com um atraso considerável – 6 pontos – o Benfica chega a Alvalade com a certeza de que uma derrota o afastará do título ainda na primeira volta da época. Depois de um investimento elevadíssimo.

 

Que dérbi é este?

Com a ausência de público, será um dérbi tático.

Um Sporting completamente consolidado, com um modelo tático fantástico que aproveita a preceito as individualidades.

Pote, Nuno Santos, Porro e o regresso de Palhinha foram tudo decisões de grande qualidade tomadas por Rúben Amorim já com o intuito de aumentar o nível do seu modelo sem lhe tocar nos princípios.

O 3x4x3 com bola do Sporting tem soluções na profundidade extraordinárias para colocar em sentido qualquer oponente.

Portador de frente para a baliza do Benfica será sinónimo de entradas de Tiago Tomás, Nuno Santos e Pedro Gonçalves.

Pedro que entre linhas é o homem da Liga em Portugal e que obrigará o Benfica a concentração máxima nos momentos em que deve baixar para controlar o espaço nas suas costas.

 

Jesus em 4x4x2

A equipa de Jesus deverá aparecer com Rafa na ala direita do 4x4x2, encarregue de sair a Feddal.

A forma como contrariará a saída a três leonina definirá a toada do jogo.

Os dois avançados mais Rafa formarão um trio ofensivo de pressão, e sobretudo de saída veloz para o contra ataque.

Darwin cairá sobre o espaço de Neto e será ai que o Benfica pretenderá ganhar vantagem sobre o seu opositor.

Um Sporting de organização, mas a recorrer a bola longa para a agressividade do seu trio da frente – Garantindo Matheus, o substituto de Palhinha em cobertura para reagir à perda, e sobretudo com a chegada tremendamente ofensiva de Nuno Mendes e Porro por fora, criando superioridade no corredor lateral, contra um Benfica que pretenderá castigar o lado de Neto nas saídas em Transição.

 

Quem poderá ser a figura?

 

Pedro Gonçalves

Pote é de deixar os defesas de çíngua de fota | foto Pedro Fiuza IMAGO

 

A criar e a finalizar, a leveza de Pote é marca da Liga NOS.

A forma como recebe nos espaços curtos e a partir daí lança a profundidade, e a eficácia do seu gesto no momento de atirar à baliza fazem de Pedro o melhor goleador da Liga e ao mesmo tempo o melhor criador.

É o candidato número um a guiar o Sporting para outro patamar no jogo.

 

Darwin Núñez

A vida do Benfica neste campeonato depende da lei de Núñez | foto Gerardo Santos IMAGO

 

A sua compleição física e capacidade de aceleração contrasta com a do seu opositor directo – que será Neto.

Em Alvalade encontrará provavelmente espaços mais largos contra um adversário directo menos capaz.

Condições que nem sempre encontra perante equipas de tração à retaguarda.

Da sua performance dependerá a saída “vida” das águias do dérbi.