Jorge Jesus voltou ao Benfica no dia 17 de julho de 2020.

Teve direito a jato particular de Vieira, que voou até ao Brasil para o resgatar.

Um regresso à Luz cinco anos depois de ter saído… para o Sporting.

 

 

Despedida em grande no Brasil

Foi um regresso polémico. JJ tinha saído diretamente da Luz para Alvalade e isso causou mau estar nos adeptos encarnados.

Jesus deuxou o Rio de Janeiro em alta, depois de ganhar tudo com o Flamengo: campeonato e Libertadores foram o ponto alto, num clube que não fazia essa dobradinha desde 1981.

Só falhou a conquista do Mundial de Clubes, mas a final perdida para o Liverpool foi sempre vista como uma derrota normal – e o equilíbrio do jogo reforçou o estatuto do protuguês.

 

 

Derrota com PAOK

Mal chegou, JJ deparou-se com uma catástrofe: a eliminação frente ao PAOK (então orientado por Abel Ferreira, que viria a assumir o Palmeiras mais tarde) na qualificação para a Liga dos Campeões.

Seguiu-se um surto de Covid-19 em dezembro e janeiro que atingiu quase todo o plantel.

Seria usado por Jesus para justificar a não conquista do título, conquistado pelo Sporting.

  • 53 jogos
  • 32 vitórias
  • 12 empates
  • 9 derrotas
  • 111 golos marcados
  • 50 sofridos

O Sporting foi campeão com 86 pontos e o Benfica terminou em terceiro, atrás do Porto, com 76 pontos.

 

 

Nova época, novos problemas

A nova época 2021/2022 arrancou bem, com apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões (eliminando Spartak Moscovo e PSV), mas a liderança precoce no campeonato acabou por ser perdida para o Porto.

A derrota com o Portimonense a 3 de outubro e as derrotas pesadas com Bayern (0-4 e 2-5) depois da vitória por 3-0 sobre o Barcelona aumentou a contestação na Luz.

O desair frente ao Sporting (1-3) e a eliminação na Taça no Dragão fizeram voltar os fantasmas.

É esse mesmo Porto que enfrenta esta quinta-feira para o campeonato.

Os incidentens no Seixal, castigando Pizzi e ver o grupo colocar-se ao lado do jogador recusando-se a treinar, deixam o banco sem JJ no Clássico.

 

Regresso sem títulos

Ao sair agora, substituído por Veríssimo temporariamente, deixa JJ sem títulos neste regresso, depois da derrota na final com o Braga a época passada.

Em 30 jogos disputados na presente época, o Jesus tem 20 vitórias, 5 empates e 5 derrotas (71-30 em golos).

529 dias depois o treinador deixa a Luz. De vez?