O Borussia não esperava esta armada tuga (e nem sequer falamos do árbitro Artur Soares Dias).

Referimo-nos mesmo ao tridente Rúben Dias-João Cancelo-Bernardo Silva.

O primeiro ensinou o terceiro a cabecear, o segundo foi considerado o melhor em campo (com duas assitências). O terceiro diz que o mérito é do primeiro.

Enfim, eles deram cabo da malta do M’gladbach.

 

Teikirize, depois do peeners, do oitxenta e oitxo e do aaaaaaaaiiiii

 

Guardiola não podia estar mais satisfeito (e mostrou-o).

Saiu de Budapeste (o jogo foi da primeira mão foi na Hungria devido à pandemia) com uma vitória 0-2 nos oitavos-de-final da Champions e está com um pé nos quartos.

Graças a quem?

Pep diz que foi graças ao João e ao Bernardo. Bernardo diz que foi graças ao Rúben.

 

 

Em que ficamos?

«O Cancelo está a jogar muito bem. Por vezes, naquela posição, temos de controlar o risco. É um jogador com enorme qualidade e tem uma capacidade física assombrosa. Estaria pronto para jogar amanhã, caso fosse preciso, e as duas assistências dele foram brilhantes. Tem de ter qualidade para conseguir colocar a bola da forma como colocou. Foi perfeito» Pep Guardiola

E o Bernardo, Pep? Um golo de cabeça, mas estamos onde?

«O Bernardo é muito bom no jogo aéreo! Já vi nos treinos, quando sobes para cabecear tens de usar o corpo e ele é forte nesse aspeto, é um bom cabeceador, para dizer a verdade. O golo foi fantástico, a forma como finalizou. Tem essa qualidade especial» Pep Guardiola

Pensávamos nós que já tínhamos visto tudo. Mas não – faltava este apontamento do Bernardo.