Joga-se hoje, em Anfield, um dos jogos mais importantes da época. Todos se perguntam como se apresentará o Liverpool no seu pior momento da temporada até então, e logo diante de um Atlético que sempre foi uma fera em jogos a eliminar. O relógio está a contar.

Quase dá vontade de rir – é praticamente tentar vislumbrar fumo quando ainda não há Papa – dizer que este é o pior Liverpool da temporada.

Pudera. Sofreram a primeira derrota do ano na Premier League diante do Watford, num jogo mesmo muito mauzinho dos alunos de Klopp.

Hoje 20h00
Oitavos de final Liga dos Campeões
Liverpool vs Atlético Madrid
1,50 – 3,95 – 6,25

Uns dias depois são eliminados pelo Chelsea da Taça de Inglaterra, por 2-0, mas num jogo onde rodaram bastante. E antes disso, no Wanda Metropolitano, sucumbiram por 1-0 diante do Atlético de Madrid, para a primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

Agora, a jogar em casa, aguarda-se que os Campeões Europeus defendam o título com a pressão habitual, o rosto sisudo e atrevido, de dentes (e pitons) de fora.

Esta mini-crise que tanto se lhes confere é mais uma crise exibicional do que de resultados. A verdade é que mesmo nas vitórias perante West Ham (3-2) e Bournemouth (2-1) viu-se um Liverpool menos intenso, meio moribundo, com escassez de ideias, pouco inventivo, algo que vulgarmente conhecemos por cansaço.

O que, mais uma vez, só pode ser normal. Até porque estar praticamente uma época inteira sem perder deve ser uma exaustão. É como estar sempre com um sorriso na cara mesmo quando não está num dia bom, “olá amigos, tudo bem? Cá estou eu outra vez e em grande forma”. E as emoções? E os seres humanos, não sentem nada?

Considerações deambulatórias à parte, voltando ao concreto, é preciso que a turma de Klopp volte, hoje, a ser letal. Até porque o campeonato está mais que ganho, é impensável que o cenário seja outro, daí que hoje se jogue muito do resto da época do Liverpool.

Não menos importante será para o Atlético, que sonha com a passagem aos quartos depois da sólida exibição realizada na primeira mão. E o que dizer da preponderância do jogo para a rapaziada de Simeone? Na La Liga são apenas sextos, numa das piores campanhas dos últimos anos. E na Champions, o orgulho está ferido, uma vez em que desde 16/17 não vão mais longe que os oitavos-de-final. Nessa época foram às meias-finais, e na época anterior, em 15/16, disputaram mesmo o título com o rival Real Madrid.

O que é feito do temível Atlético com quem nenhuma equipa se queria cruzar? Vão alegar que foi a saída de Griezmann que é responsável por esta hecatombe? Por favor. É por isto tudo e mais um par de havaianas que o jogo de hoje é imperdível. E com isto consegui escrever um texto destes sem nunca falar do João Félix. Incrível, não?