O adeus à Champions do Benfica ficou marcado pela sua melhor prestação Europeia da temporada, confirmando o Benfica os sinais mais recentes que apontavam uma retoma em termos exibicionais.

Está diferente o Benfica de Bruno Lage.

Faz coabitar Taarabt, Chiquinho e Pizzi, e o maior critério em posse destes três elementos tem permitido que os encarnados se instalem em posse no meio campo ofensivo. A dinâmica que promove as ligações que Gabriel e Taarabt procuram encontrar com os espaços mais adiantados onde Chiquinho e Pizzi procuram receber para combinar, bem como a chegada de um avançado capaz de materializar ofensivamente o que a equipa produz elevou nos tempos mais recentes o jogo do Benfica e permitiu-lhe vencer e chegar à Liga Europa.

Hoje 20h00
Liga dos Campeões
Benfica vs Zenit
2,30 – 4.00 – 5,50

Mesmo que defensivamente tudo permaneça no habitutal 4x4x2

Os próximos tempos prometem ser marcados pelo consolidar da nova dinâmica que cria, parecendo o onze inicial fechado, e apenas aberto à espera da chegada de Rafa Silva, sendo portanto expectável que, à semelhança da temporada passada, o Benfica utilize o período pós Champions para crescer exibicionalmente. Mesmo tendo a noção de que Janeiro e Fevereiro trará Sporting, FC Porto, Braga e Vitória de Guimarães no caminho dos comandados de Bruno Lage.

A própria prestação Europeia dependerá bastante de dois factores determinantes.

– A “sorte” do sorteio, e a classificação interna.

Com Ajax, United, Inter, Arsenal, Roma e Sevilha em prova, a Europa League de 2019/2020 parece inalcançável para um Benfica pouco Europeu – Sobretudo recordando que não parece haver muita intenção de promover desgaste nas primeiras linhas em jogos extra campeonato nacional – E é precisamente do que conseguirá no seu terrível ciclo de Janeiro / Fevereiro que levará o Benfica a reforçar ou não a aposta na segunda prova maior da Europa de clubes.