Sem factor casa na eliminatória, o Porto de Conceição trará coração, disponibilidade, agressividade e procura de explorar as costas da defensiva Blue através dos movimentos de Marega.

Taremi será o grande ausente.

A velocidade dos laterais Manafá e Zaidu estará encarregue da chegada ao último terço pelo corredor lateral em momento ofensivo, enquanto nas costas de Marega surgirá a criatividade de Tecatito, a intensidade de Otávio, e a irreverência de Diaz, o possível sucessor do Iraniano.

O Chelsea de Tuchel apresentará o seu 3x4x3 com o trabalho interior em zonas de criação de Ziyech e Havertz, ao redor do goleador Timo Werner.

A qualidade em posse de Jorginho e Kovacic garante bola para a turma inglesa.

Tremenda capacidade de execução e gestão do ritmo do jogo da dupla central do meio campo londrino, poderá ser determinante no decidir da toada do jogo.

 

Porto tomou conta de Turim (e de Ronaldo)

 

O acompanhar dos laterais Alonso e Reece James deverá estar a cargo de Otávio e Corona pelos corredores laterais, e tal associado à capacidade dos médios londrinos em gerirem o ritmo da partida poderá levar o Porto demasiado para trás, e com os seus alas demasiado longe da baliza adversária no momento de sair, confinando Marega ao difícil trabalho de se bater isolado contra os três centrais londrinos.

 

Calhou o Chelsea ao Porto. E agora?

 

O favoritismo cai sobre a equipa de Tuchel, e a ausência de Taremi é golpe na dinâmica ofensiva do Porto, mas se há quem possa surpreender na Europa…