Agora chama-se Tuchel.

O Chelsea mudou desde que o alemão chegou a 26 de janeiro.

Thomas Tuchel colocou o Chelsea novamente nos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

O que não acontecia desde 2013-14.

 

 

Mas não é só.

Desde a sua chegada a Stamford Bridge, o antigo técnico do PSG leva uma invencibilidade de 13 jogos

  • 9 vitórias
  • e 4 empates

Thomas Tuchel não só não perdeu nos 13 jogos que fez no novo clube como sofreu apenas 2 golos.

Estamos a falar de uma série que conta com os dois duelos com o Atlético Madrid e confrontos com Manchester United, Tottenham, Everton e Liverpool.

Um desses 2 golos sofridos foi o autgolo hilariante de Antonio Rüdiger frente ao Sheffield United.

O que faz de Takumi Minamino o único jogador adversário a ter conseguido marcar um golo ao Chelsea de Tuchel em quase dois meses.

Lampard, nos 13 jogos anteriores, acumulou 5 derrotas e 2 empates (apenas 6 vitórias).

 

A mensagem de Lampard

Tuchel e Lampard nunca se cruzaram em Stamford Bridge nem nunca se conheceram.

O único contato que tiveram foi quando Tuchel recebeu uma SMS do seu antecessor um dia depois de ser anunciado como o novo treinador do Chelsea.

O inglês desejou boa sorte ao alemão, o que surpreendeu e deixou Tuchel emocionado com o gesto de Lampard.

 

Porto tomou conta de Turim (e de Ronaldo)

 

Comunicação e lealdade

Além da comunicação – todos interagem com todos na equipa técnica e entre os jogadores – Tuchel trouxe nova dinâmica aos treinos.

O alemão abriu a porta a todos os jogadores – todos têm hipótese de participar e jogar.

Desde que chegou utilizou quase todos os jogadores disponíveis pelo menos uma vez.

Se não joga, Tuchel justifica a decisão, individualmente ou na frente do grupo.

Cada elemento da equipa do Chelsea e da equipa técnica sabe o papel que deve cumprir.

 

Oršić. A maldição de Mourinho 21 anos depois

 

Treinos inovadores e divertidos

Tuchel impôs uma metodologia de treinos inovadores e divertidos.

Os jogadores utilizam bolas de futebol pequenas para melhorar o controlo.

Jogam basquetebol para se divertirem.

Depois chega a parte da intensidade – mais físico e mais tático.

Tuchel insiste nos padrões de jogo, repetição, movimento da bola e estrutura das suas equipas.

Cada jogador tem uma “zona” a ser respeitada na posse de bola para que possam superar a pressão alta do adversário.

Intensidade é a palavra-chave.

Tudo o que fazem no treino é baseado na intensidade, sejam os movimentos agressivos de pressão que o Chelsea utiliza para recuperar a bola, ou nas corridas com e sem bola.

A parte técnica também foi intensificada.

Tuchel quer o controlo dos jogos e, para isso, ter posse de bola é fundamental.

 

Quartos-de-final da Champions. As 8 melhores equipas e o que pode calhar ao Porto

 

Obetivos: Champions, Taça e 4 primeiros

Quando chegou a equipa já estava atrasada em relação ao título.

Lampard deixara o Chelsea no 10º lugar – a 13 pontos do primeiro. Agora o objetivo é terminar nos 4 primeiros para ter entrada na Champions do próximo ano.

O Chelsea recuperou terreno – agora é 4º, com mais 2 pontos que o 5º West Ham, e a 5 pontos do 3º Leicester.

 

Lamela, da letra à expulsão

 

Há também a Taça de Inglaterra.

O Chelsea, já sob Tuchel, eliminou o Burnley (0-1) e tem agora o Sheffield United nos quartos-de-final.

Nesta Liga dos Campeões, Tuchel vai fazendo pela vida.

Já eliminou o Atlético de Madrid com duas vitórias – em Madrid 0-1 e em Londres 2-0. É aqui que entra o Porto, nos quartos-de-final.