O Chelsea é o clube do ano mas foi o Barcelona a ganhar tudo.

Coletivo vs individual.

Estamos a falar da Bola de Ouro, o prémio dado pela revista francesa France Football.

 

 

Chelsea no masculino e no feminino

Não houve volta a dar: o prémio de Clube do Ano é do Chelsea.

Foi assim que o clube londrino saiu do Théâtre du Chatelet, em Paris – a equipa inglesa foi eleita a melhor de 2021, nos homens e nas mulheres.

 

 

Entre 2020 e 2021, período que foi levado em consideração, os Blues venceram a Liga dos Campeões e Supertaça europeia.

E não se ficaram por aqui.

Também colocaram alguns jogadores no top-30 masculino, entre eles Jorginho (3º) e o meio-campista Kanté (5º).

Paris também não ficou mal colocado: o PSG tem agora Messi com a Bola de Ouro na sua equipa e conta também com o melhor guarda-redes Donnarumma.

 

 

Ambos os jogadores venceram o prémio correspondente ao desempenho na época passada:

  • o argentino ao serviço do Barcelona
  • o italiano pelo Milan

 

Barça fica com o resto (que é tudo)

Pedri, Putellas e Messi – todos do Barcelona.

Primeiro Messi – o argentino venceu o 7º troféu e ampliou a vantagem sobre Cristiano Ronaldo, que tem cinco Bolas (o português ficou em 6º lugar).

 

 

Robert Lewandowski ficou na segunda posição.

O polaco do Bayern era um dos favoritos à vitórias mas voltou a não vencer o troféu – o ano passado devido à pandemia não houve prémio.

Mas como consolação, criaram o galardão para o Melhor Avançado: foi isso que Lewa levou.

 

 

Nas mulheres, a vencedora foi a espanhola Alexia Putellas.

A capitã do Barcelona não deu hipóteses à concorrência.

Aos 27 anos venceu a Liga dos Campẽoes, a Taça da Rainha e o campeonato.

 

 

Depois sobrou Pedri, com o prémio Kopa – foi a consagração para o melhor jogador sub-21.

O defesa português transferido este ano do Sporting para o PSG também entrou na votação.