Marcel Duchamp reinventou a arte quando em 1917 apresentou Fountain, um urinol assinado com a iniciais R.Mutt deixando um legado que influenciou o Dadaísmo, o Surrealismo, o Expressionismo abstrato ou a Arte conceptual.

No mesmo seguimento, 100 anos depois e com um sentido mais prático – e menos artístico – Bill Gates foi à China com uma jarra de fezes e mostrou a sanita do futuro: um recipiente que transforma as fezes em fertilizante que não precisa de água ou sistemas de esgotos. Um legado para um futuro mais ecológico e acessivel a todos.

O Mónaco fez o mesmo, no sentido prático da coisa. Despediu Leonardo Jardim e foi buscar Thierry Henry. Só que daqui não se vê grande legado e muito menos um futuro risonho para os monegascos. É o oposto de uma aposta inovadora (e vencedora).

 

 

O francês soma dois empates e quatro derrotas nos seis jogos que leva como treinador, a primeira experiência a sério que leva sentado no banco.

Estrasburgo 2-1
Brugge 1-1
Dijon 2-2
Reims 1-0
Brugge 0-4
PSG 0-4

A última foi uma derrota em casa na 13.ª jornada com o PSG: 0-4. O mesmo resultado no útimo jogo da Liga dos Campeões, com o Brugge: 0-4 no Principado.

O Mónaco é penúltimo 19.º no campeonato, entalado entre o Dijon e o Guinguimp, com 7 pontos e a 5 da sobrevivência – o 17.º Caen tem 12 pontos. Henry já admitiu que a equipa luta pela manutenção.

Na Champions a vida não vai melhor: o Mónaco é último do Grupo A com 1 ponto, eliminado da prova (Borussia e Atlético têm 9 pontos) e com a vida difícil para chegar à Liga Europa (o Brugge é terceiro com 4 pontos).

 

 

“Thierry Henry veio para um longo período”, disse o vice-presidente Vadim Vasilyev nesta segunda-feira. “Nunca tivemos tantos jogadores lesionados. Estamos com falta de confiança e com falta de sorte”.

OK que o que Jardim deixou também não foi muito bom: 12 jogos e 1 vitória entre campeoanto, Champions e o jogo da Supertaça

Rennes 1-2
Borussia 3-0
Saint-Étienne 2-0
Angers 0-1
Nimes 1-1
Atlético Madrid 1-2
Toulouse 1-1
Marselha 2-3
Bordeús 2-1
Lille 0-0
Nantes 1-3 (esta foi a única vitória)
PSG 4-0 Supertaça

Além da má fase e das lesões, a equipa sofreu com a venda recente de jogadores importantes como Bernardo Silva, Benjamin Mendy e Kylian Mbappé.