Mais uma semana europeia chegou ao fim. Mesmo ao fim.

Tão ao fim que foram realizados os sorteios dos quartos-de-final da Champions e da Liga Europa.

E a coisa está engraçada.

O Porto vai tentar fazer a vida negra a outro candidato.

Depois de ter eliminado a Juventus enfrenta o novo Chelsea de Tuchel, o homem que chegou, viu e não sabe perder.

 

Calhou o Chelsea ao Porto. E agora?

 

Com este capítulo para já fechado (as provas europeias só regressam em abril) voltam a ganhar vida os campeonatos, à entrada da recta final.

Tudo para acompanhar aqui na Moosh.

 

Braga-Benfica, é para a Champions

Em Portugal, Braga e Benfica vão lutar pelo terceiro lugar. Ao terceiro encontro da época.

Nos outros dois foi o Braga que venceu:

  • 2-3 na Luz para o campeonato
  • 2-1 nas meias-finais da Taça da Liga

Agora é o jogo da segunda volta do campeonato edecisivo na luta pela 3ª pré-eliminatória da Champions.

Os dois estão separados por 2 pontos (50-48 a favor dos bracarenses).

O Benfica em franca recuperação pontual e exibicional desloca-se ao Minho num jogo absolutamente determinante para as contas da entrada na Liga milionária.

Na Luz o Braga surpreendeu triunfando por 3 a 2, e na Pedreira o Benfica terá de entrar para vencer para poder resgatar o lugar de acesso à Champions.

As agulhas da partida ditarão um Braga remetido à sua densa e competente taticamente organização defensiva. Pressão no meio campo ofensivo, impedindo construção facilitada baixa do Benfica, e reorganização em 4x4x2 em bloco médio, enquanto espera indicador para voltar a pressionar, e nova reorganização em 5x4x1 quando os encarnados do Benfica conseguirem empurrar para a retaguarda a organização arsenalista.

O momento de recuperar a posse será vital para o desfecho da partida. Galeno e Ricardo Horta pela velocidade de um, e capacidade de decisão do outro serão um perigo após cada recuperação da posse. Diogo Gonçalves e Grimaldo terão a função de equilibrar a equipa encarnada aquando ainda do momento da posse, encostando nos jogadores mais dos arsenalistas.

Embora conte com Al Musrati, senhor de todo o meio campo do jogo, capaz de ludibriar pressão adversária e jogar também em ataque posicional, é expectável um Braga sem bola, mas nem por isso menos ameaçador.

Jorge Jesus poderá trazer novidades ao Minho. Não é de descurar a presença de três defesas centrais. Lucas Veríssimo, Otamendi e Vertonghen trarão para lá de qualidade na construção, argumentos poderosos nas bolas paradas defensivas e… ofensivas.

 

À frente do trio, Weigl é mais um factor para garantir chegada às zonas de definição com mais qualidade e elaboração, e no espaço entre linhas Rafa e Everton serão pela velocidade que se movem, os catalisadores do potencial perigo do Benfica em ataque posicional e em ataque rápido.

A nem sempre pontaria afinada de Seferovic não é garante de que o Benfica possa triunfar se criar pouco.

O crescimento do Benfica, e as dificuldades individuais no centro da defesa arsenalista o jogo, contrabalançarão a matriz de um Benfica a jogar contra pouco espaço, e o Braga a poder sair com mais tempo e melhor relação numérica para o ataque.

Num jogo de dificuldade em criação no momento de organização ofensiva, a transição do Braga e a bola parada do Benfica poderão deixar mossa.

 

Roma-Nápoles para a Champions

Em Itália o Inter viu o seu jogo com o Sassuolo adiado e pode ver o Milan e a Juve aproximarem-se.

Mas o destaque vai para a Roma de Paulo Fonseca.

 

Os romanos qualificaram-se na Liga Europa e estão no 6º lugar a lutar com o Nápoles e a Atalanta pelo último lugar na Champions.

  • 1º Inter 65
  • 2º Milan 56
  • 3º Juve 55 (menos 1 jogo)
  • 4º Atalanta 52
  • 5º Nápoles 50 
  • 6º Roma 50 

 

Lille sentado à espera

Em França, o líder Lille joga com o penúltimo Nimes e vai ficar à espera do jogo grande da jornada.

Lyon e PSG tem 60 pontos e estão no segundo lugar a 3 pontos do Lille.

O vencedor continuará na luta pelo título mas o derrotado sairá ferido desta luta a 9 jornadas do fim do campeonato.

 

Atlético a torcer pela Real

Em Espanha o cenário é parecido.

A 11 jornadas do fim o Barcelona enfrenta um dos seus maiores desafios (há ainda o Real-Barça daqui a 2 jornadas).

Para já a equipa de Koeman vai ao País Basco defrontar a Real Sociedad e tem de sair viva para continuar a acompanhar o Atlético.

Os colchoneros têm 63 pontos, mais 4 que os catalães.

O cenário é válido também para a formação de Simeone: joga com o antepenúltimo Alavés e não pode vacilar, depois de uma semana para esquecer com a eliminação da Champions em Stamford Bridge.

 

Agenda Moosh:

Sábado 20 de março

Domingo 21 de março