A noite foi dos guarda-redes. Mas a noite de Sommer foi melhor que a de Lloris.

 

Sommer defendeu o penálti decisivo de Mbappé no último pontapé da série e eliminou a campeão mundial – 5-4 nos penáltis, depois de 3-3 nos 120 minutos.

  • Mario Gavranovic 1-0
  • Paul Pogba 1-1
  • Fabian Schar 2-1
  • Olivier Giroud 2-2
  • Manuel Akanji 3-2
  • Marcus Thuram 3-3
  • Rubén Vargas 4-3
  • Presnel Kimpembe 4-4
  • Admir Mehmedi 5-4
  • Kylian Mbappé falha

Mas antes, muito antes, foi uma noite louca.

A Suíça entrou a ganhar com um golo de Seferovic 1-0, falhou um penálti e assistiu à reviravolta da França 1-3. Nunca desistiu e empatou 3-3 levando o jogo para penáltis.

 

 

Lloris defende penálti

O único a acreditar quando Rodriguez partiu para o penálti foi Lloris.

Faltava meia hora para o fim e havia 1-0 para a Suíça graças a Seferovic.

Se Ricardo Rodriguez marcasse a penalidade descortinada pelo VAR – deixando Deschamps à beira de um atque – a Suíça faria o 2-0 e arrumava a França.

Mas o guarda-redes do Tottenham adivinhou o lado que o lateral esquerdo do Torino escolheu – Lloris copiou Fabien Barthez em 2004 e defendeu.

 

 

Ricardo Rodriguez é conhecido pela sua habilidade, precisão nos cruzamentos, passes, cobranças de faltas e penáltis, diz a bio na wikipédia

 

Benzema vira o jogo

A defesa de Lloris foi aos 55 minutos.

Aos 57 Benzema empatou – e aos 59 fez o 2-1. Au revoir!

 

 

Aos 75 veio a obra-prima de Pogba. C’est fini!

O médio do Man United marcou em todas as fases finais em que participou e sempre em fases a eliminar:

  • 2014 vs Nigéria
  • 2016 vs Islândia
  • 2018 vs Croácia
  • 2021 vs Suíça

Mas qual fini qual quê.

Seferovic voltaria a marcar e o VAR anulou o 3-3 (por fora-de-jogo de Gavranovic).

 

 

O mesmo Gavranovic faria mesmo o 3-3 e levaria o jogo para prolongamento.

Nada feito aí – decidiu-se nos penáltis. Aí houve Sommer – e não houve Mbappé.